UMa disponível para acolher exames dos estudantes madeirenses colocados fora da Região

22 Mai 2020 / 14:36 H.

Representantes do Grupo Parlamentar do PSD/M e da JSD/M confirmaram, nesta sexta-feira e no final de uma reunião com o Reitor da Universidade da Madeira, que esta instituição está disponível para acolher a realização dos exames dos estudantes universitários madeirenses que, colocados fora da Região, teriam de deslocar-se, presencialmente, às suas faculdades, enfrentando constrangimentos de vária ordem relacionados com o custo das viagens mas, também, com as imposições sanitárias decorrentes da pandemia.

Um modelo alternativo que, defendido desde a primeira hora pelo Grupo Parlamentar do PSD/M e pela JSD/M, ganha forma, cumprindo-se, desta forma, aquele que era o objetivo fundamental: que os estudantes universitários madeirenses colocados nas várias Faculdades nacionais não fossem prejudicados, na sua avaliação, pela sua condição geográfica.

Em declarações no final deste encontro, Bruno Melim fez questão de frisar a importância desta medida, apelando a que os estudantes madeirenses procurem, agora, os seus órgãos de representação e entrem em contacto com as suas Universidades para que possam, efectivamente, usufruir desta alternativa de avaliação.

Lembrando que, ao longo desta semana, foram muitos os contactos levados a cabo, nomeadamente com os estudantes, mas, também, com as Federações e Associações Académicas nacionais, Bruno Melim faz questão de sublinhar que esta abertura da Universidade da Madeira é extremamente positiva, assim como é positiva a postura das Universidades que, nesta semana, já entraram em contacto com a UMa, para agilizar o processo.

“É o caso de algumas Faculdades da Universidade do Porto, que já contactaram a Universidade da Madeira no sentido de que os seus estudantes possam realizar as suas provas na Região, o que é, acima de tudo, um sinal de que há coesão e solidariedade no meio académico mas, também, que há gente, em Portugal continental e com responsabilidade, que não esquece aqueles que, insularmente, procuram os seus sonhos mais além”, rematou.