‘Um só Mundo Juntos em Casa’ num concerto global contra a pandemia

06 Abr 2020 / 20:10 H.

Paul McCartney, Billie Eilish e Eddie Vedder são alguns dos artistas que vão participar, no dia 19 de abril, na emissão global de um concerto solidário com os profissionais que lutam contra a pandemia da covid-19, anunciou a organização.

“One World: Together at Home”/”Um só Mundo: Juntos em Casa”, com curadoria de Lady Gaga, visa angariar fundos para o combate à Covid-19, e vai ser transmitido via Internet, e por vários canais de televisão, entre os quais a MTV Portugal.

A iniciativa foi anunciada hoje durante a conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia da Organização Mundial de Saúde (OMS), e realiza-se em parceria com a organização Global Citizen.

Alanis Morisette, Stevie Wonder, Elton John, Andrea Bocelli, Lang Lang, Pryianka Chopra Jonas, Stevie Wonder, Finneas, J Balvin e mesmo David Beckham são outros nomes que vão participar no concerto, a partir de suas casas, na transmissão que terá início às 00:00 de 19 de abril, na Europa Central/23:00 de 18 de abril, em Portugal (20:00 na costa oeste dos Estados Unidos), orientada pelos apresentadores norte-americanos de televisão Jimmy Kimmel, Stephen Colbert e Jimmy Fallon.

Além da transmissão via internet, em várias plataformas, e pela MTV Portugal, através dos serviços de televisão por assinatura, o concerto também será transmitido pela britânica BBC e pelas norte-americanas ABC, CBS e NBC.

Alguns dos artistas que participam no concerto, como John Legend ou Chris Martin, já atuaram pela Internet, a partir de suas casas, na rubrica “Together at Home”, pela plataforma de vídeos Youtube.

O diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, disse que o concerto é “uma poderosa demonstração de solidariedade contra uma ameaça comum”.

O concerto visa mobilizar contribuições para o fundo Covid-19 Solidarity Response da OMS, segundo o comunicado hoje divulgado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 70 mil.

Dos casos de infeção, mais de 240 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 680 mil infetados e mais de 50 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, 16.523 óbitos em 132.547 casos confirmados até hoje.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 311 mortes, mais 16 do que na véspera (+5,4%), e 11.730 casos de infeções confirmadas, o que representa um aumento de 452 em relação a domingo (+4%).