Quase 90% das empresas prevê manter ou aumentar colaboradores devido à automação

Lisboa /
12 Out 2019 / 00:06 H.

Quase 90% de 19 mil empresas sondadas em 44 países antecipam aumentar ou manter o número de colaboradores como resultado da automação, acima das 83% que o previam há três anos, segundo um estudo hoje divulgado.

“Mais entidades empregadoras que nunca -- 87% -- planeiam aumentar ou manter o número de funcionários como resultado da automação pelo terceiro ano consecutivo”, percentagem que era de 83% há três anos, indica o estudo intitulado ‘Humans wanted: Robots need you’ [Procuram-se humanos: Os robots precisam de vocês], do Manpower Group.

Já a percentagem de empresas que antecipam reduzir postos de trabalho desceu de 12% para 9%, segundo o mesmo estudo.

Outra das conclusões é que entre a percentagem de empresas que vão automatizar tarefas nos próximos dois anos, de 41%, 24% preveem criar mais postos de trabalho, seis pontos percentuais acima daquelas que não tencionam automatizar funções.

“Apenas 12% das empresas que estão a automatizar dizem que vão reduzir o número de funcionários, enquanto 3% não têm a certeza do que o futuro reserva”, indica o estudo.

No total, foram inquiridas 19 mil empresas em 44 países sobre o impacto da automação no seu número de trabalhadores nos próximos dois anos, as funções que tencionam aumentar, as competências que mais procuram e as estratégias de talento que estão a implementar para assegurar uma força de trabalho adequada para enfrentar os desafios do futuro.

O estudo conclui também que, em 2020, 84% dos empregadores tenciona aumentar as competências dos seus colaboradores, face aos 21% verificados em 2011.

Entre as 19 mil empresas inquiridas, 65% das empresas que tencionam aumentar o número de colaboradores em Tecnologias da Informação afirmam que a comunicação é a competência mais valorizada.

O mesmo estudo conclui que, “até 2022, mais de metade dos colaboradores (54%) vão precisar de ajustar as suas competências de forma significativa” e destes 35% deverão precisar de formação até seis meses, 9% entre seis a 12 meses e 10% precisará de formação com duração superior a um ano.

Outras Notícias