PS próximo da maioria absoluta

Há um ano, o Governo que ficou conhecido por “geringonça” tomava posse. Agora, o PS está próximo da maioria absoluta e quase dispensa o apoio dos parceiros.

25 Nov 2016 / 09:31 H.

Muita coisa pode mudar em apenas um ano, especialmente em política. Uma sondagem do centro de estudos e sondagens da Universidade Católica, publicada esta sexta-feira no DN e no JN, mostra uma liderança clara do PS nas intenções de voto, com 43%.

Nas contas desta sondagem, o PS consegue uma quase maioria absoluta, sem necessitar de ajuda de outro partidos da esquerda e com um valor muito superior 32,31% dos votos conquistados nas legislativas de 2015.

À direita, PSD e CDS somam 36%, com o partido liderado por Pedro Passos Coelho a conquistar para si 30% dos votos. Estes são valores muito próximos daqueles que ambos os partidos tiveram nas legislativas de 2015, de onde saíram com 36,86% dos votos.

Quanto a líderes, Costa é aquele que reúne mais opiniões positivas. Pedro Passos Coelho está no lado oposto. Catarina Martins, do Bloco de Esquerda, aparece um ponto à frente de Jerónimo de Sousa, mas o que impressiona na taxa de aprovação das figuras públicas é Marcelo Rebelo de Sousa.

De zero a 20, o Presidente da República soma 16,3 valores, mais do dobro em relação à avaliação média de Cavaco Silva, o antigo Presidente. Cerca de 97% dos inquiridos dá uma nota positiva a Marcelo, não havendo memória de uma sondagem em que uma figura pública tivesse conquistado valores desta dimensão.

A sondagem, realizada pela Universidade Católica para o DN, JN; RTP e Antena 1, teve lugar entre os dias 19 e 22 deste mês. Foram validadas 977 entrevistas pessoais, em domicílios aleatórios, em 18 freguesias de Portugal continental, com resultados ponderados em função das eleições do ano passado. 57% dos inquiridos foram mulheres. 34% na região Norte, 29% no Sul, 23% no Centro, 8% no Algarve, e 6% no Alentejo. A margem de erro é de 3,1%, para uma taxa de confiança de 95%

Tópicos