Presidente da República pede determinação no combate à pobreza

Lisboa /
17 Out 2019 / 11:53 H.

O Presidente da República pediu hoje “determinação e responsabilidade colectiva” no combate à pobreza e recordou que há quase dois milhões de pobres em Portugal.

No Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza, que hoje se assinala, o chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, realça numa nota publicada na página oficial da Presidência que os anos passam, mas os problemas persistem.

“Os anos passam e, por ocasião de efemérides como a que hoje assinalamos, somos confrontados com problemas que persistem e para os quais temos de olhar com maior ambição. O combate à pobreza e a correcção das desigualdades sociais são duas prioridades que exigem determinação e responsabilidade colectiva”, escreve o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa apela ainda para que este combate seja feito caso a caso, pessoa a pessoa, mas também “como um fenómeno mais global, de múltiplas causas, e abordagem transversal. Combatendo a pobreza com estratégia, juntando meios públicos e privados, experiência social e solidária, inspirando cidadãos para a causa de um Portugal mais justo e coeso”.

O chefe de Estado recorda ainda Manuela Silva, que morreu este mês e que se destacou na sua intervenção cívica, presidindo à Comissão Nacional Justiça e Paz e pelo trabalho pioneiro desenvolvido no estudo da pobreza e das desigualdades em Portugal.

“Manuela Silva, que dedicou a vida a esta causa, dizia que a pobreza é uma violação dos direitos humanos. Criticando, na nossa sociedade, os crivos apertados para julgar os mais pobres, deixando passar as grandes disfuncionalidades no topo da escala social”, assinala Marcelo Rebelo de Sousa, concluindo que “Portugal tem sido assertivo no esforço para esbater esse fosso” e apelando à determinação para assim continuar.

Outras Notícias