Helicópteros e aviões em terra no arranque da época crítica dos fogos

O concurso foi contestado e está a travar o reforço de 20 novos meios, noticia o JN. Berardo também está nas capas, juntamente com o aumentos da venda de passes e como caso da funcionária da Autoridade Tributária detida pela Polícia Judiciária.

15 Mai 2019 / 10:02 H.

“Meios aéreos impedidos de voar no arranque do combate aos fogos”, faz manchete o JN. O jornal diz que o concurso foi contestado em tribunal e trava o reforço de 20 helicópteros e aviões. O jornal acrescenta que o Governo e a Altice estão em vias de chegar a acordo para a compra do SIRESP. Leia ainda neste matutino sobre a Família tradicional que está em queda e sobre os doentes operados fora de tempo em 80% dos hospitais.

Bancos acusam Joe Berardo de golpe de Estado na fundação, noticia o Público. O empresário madeirense terá aumentado o capital na fundação que controla a colecção de arte à revelia dos bancos credores. Lisnave vai ser o maior projecto de requalificação depois da Expo´98, está em grande também. O Público chama ainda à primeira página a questão dos meios aéreos e de cirurgias oncológicas no Serviço Nacional de Saúde que ultrapassam os prazos máximos.

No Correio da Manhã a notícia em letras maiores é da funcionária da Autoridade Tributária detida pela Polícia Judiciária, que alegadamente entregada informação privilegiada e “salvava caloteiros”. Na foto o alerta máximo na festa do título, este ano, diz o jornal, com mais polícias do que nos anos anteriores.

No Diário de Notícias, o sucesso do passe único. A Fertagus, que faz a ligação ferroviária entre Lisboa e a Margem Sul, vai retirar bancos para acomodar mais 20% de passageiros. No mês de Abril, só nesta empresa foram feitas mais 500 mil validações de títulos de viagem do que no mesmo mês de 2018. As outras companhias, Metro e Transtejo-Soflusa também registaram um aumento de passageiros no primeiro mês do passe único na Grande Lisboa. A foto maior é a de Putin a cumprimentar Pompeo, de visita à Rússia.

“Qualquer dia há muito peixe, não há é pescadores”, diz a Federação do Sindicato do Sector da Pesca ao i. As mudanças nas quotas e nas regras estão a esmagar a actividade, acrescenta ainda a representante dos trabalhadores. Neste matutino em destaque também a emergência climática e ainda o caso da funcionária do Estado que da “vitória de bandeja” a contribuintes em litígio com o fisco.

Pensões provisórias pagas a quem tem mais de 66 anos, escreve em maior o Negócios. Na foto grande, os chineses que recuperam metade do que investiram na EDP em 2021.

Nos desportivos, Samaris renova pelo Benfica até 2023, noticia em grande A Bola. “É a minha casa”, diz o jogador. No Record “Samaris para sempre”. O grego fica na Luz até aos 34 anos, acrescenta. Ainda nesta final de época Vietto vale 7,5 milhões de euros e os espanhóis que pagam 22,5 milhões de euros por Gelson. O Jogo faz capa com a segunda metade da entrevista a Pinto da Costa. “Sérgio fica mais dois anos”, declara o presidente do FC Porto. Marega tem proposta acima dos 30 milhões de euros, escreve o jornal, que entre outras vendas e compras de jogadores revela que Samaris vai ficar a ganhar 1,2 milhões de euros ao ano.

Outras Notícias