Fogo no Funchal ‘incendeia’ media nacionais

País /
23 Fev 2019 / 02:30 H.

Pelas 19h15 de sexta-feira, dia 22 de Fevereiro, as chamas deflagraram no antigo edifício da Insular de Moinhos, no centro do Funchal. O incêndio colocou a Madeira em polvorosa (felizmente, sem vítimas nem feridos a registar) mas o ‘fumo’ chegou também aos media nacionais.

“Incêndio em edifício devoluto no Funchal em fase de rescaldo”, escreveu o Diário de Notícias na sua página online. O periódico nacional realçava a existência de várias habitações e estabelecimentos comerciais nas imediações.

“Incêndio que assustou no Funchal só afectou prédio devoluto”, é o título do JN. O jornal do continente fazia referência ao indivíduo resgatado pelos bombeiros no interior do edifício.

“Incêndio em prédio no Funchal extinto”, dizia o Publico, sublinhando que as causas do incêndio são desconhecidas.

“Incêndio de grandes dimensões que destruiu edifício no centro do Funchal está em fase de rescaldo”, dizia por sua vez o Observador. “O edifício estava degradado e servia de casa para pessoas sem-abrigo. Duas pessoas foram resgatadas, mas não há registo de feridos. Por precaução, os bombeiros vão manter-se no local durante a noite”, acrescentava o diário digital.

“Violento incêndio consome prédio no centro do Funchal Fogo engoliu edifício da Insular de Moinhos, na Madeira”. Título do Correio da Manhã. O órgão de comunicação nacional acompanhou a notícia com um vídeo do incêndio.

Outras Notícias