Ferro Rodrigues exalta “construção europeia”, Português e Castelhano em Madrid

Lisboa /
08 Nov 2018 / 11:02 H.

O Presidente da Assembleia da República defendeu hoje os princípios da “construção europeia” e a importância das línguas Português e Castelhano, “num mundo cada vez mais plural”, discursando no VII Fórum Parlamentar Luso-Espanhol, em Madrid.

“É com preocupação que vemos o ‘Brexit’ (saída do Reino Unido da União Europeia - UE), crescimento das forças centrífugas, o crescimento do populismo e da xenofobia e o confronto com os valores em que se funda a UE, bem claros no artigo nº.2 do Tratado de Lisboa. Convém lembrar: a construção europeia, única no seu género na comunidade internacional, é fonte de paz e de liberdade”, disse Ferro Rodrigues, reconhecendo ter sido “muito duro para Portugal o impacto económico e social do programa de assistência económica e financeira, o programa da ‘troika’”.

Segundo o presidente do parlamento luso, “ainda assim, e com a confiança recuperada, a grande maioria dos portugueses continua a acreditar na construção europeia”.

“Defendemos e velamos pelo princípio da subsidiariedade - mas este não pode ser desculpa para a inação ou refúgio para os egoísmos nacionais. Queremos uma Europa competitiva, mas também uma Europa que seja inclusiva e solidária. Esta é a nossa maneira de estar: na política de migrações, na defesa da política de coesão e na necessidade de completar a união económica e monetária. Ao que Portugal e Espanha fazem juntos na Europa, e quantas vezes com aquele trabalho interligado, soma-se o que fazemos a nível bilateral, como vizinhos e amigos”, afirmou.

Ferro Rodrigues frisou que “o Castelhano e o Português são dois dos idiomas mais falados no mundo - se o castelhano é a primeira língua nas Américas, o português tem o seu ponto de encontro na CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa): no Brasil, em África e em Timor”.

“Os dois idiomas têm a capacidade privilegiada de nos projetarem extrafronteiras: na cultura, sem dúvida, mas igualmente na economia, no investimento e enquanto membros ativos da comunidade internacional. Num mundo cada vez mais plural, num tempo marcado pela sociedade de conhecimento, o Português e o Castelhano são bens inestimáveis. É nosso dever e é do nosso interesse promover a sua difusão, tê-las como instrumento de trabalho e de comunicação e cooperar no seu conhecimento recíproco”, desejou.

O Fórum Parlamentar Luso-Espanhol, cuja primeira edição data de 2009, antecede a cimeira governamental luso-espanhola, que vai decorrer em Valladolid, a 21 de novembro. Trata-se de uma organização do Congresso dos Deputados de Espanha (parlamento) e inclui na sua agenda o tema “Portugal e Espanha na Europa”, além de assuntos como pensões, saúde, política social e de ciência, educação, universidades, cooperação em matéria cultural e de infraestruturas.