Emigrantes recebidos na fronteira de Vilar Formoso com conselhos sobre segurança rodoviária

Guarda /
29 Jul 2018 / 14:37 H.

Os emigrantes que hoje entram em Portugal pela fronteira de Vilar Formoso, no concelho de Almeida, distrito da Guarda, estão a ser recebidos com conselhos sobre segurança rodoviária.

Nesta fronteira decorre a 16.ª edição da campanha de sensibilização rodoviária “Sécur’Eté 2018: Verão em Portugal”, promovida pela associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan e que é destinada aos emigrantes que se deslocam de carro a Portugal durante as férias de verão.

A campanha, que tem como objetivo contribuir para a redução do número de acidentes durante os trajetos longos, contou, hoje de manhã, com a participação dos secretários de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, e das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas.

Os governantes deram as boas vindas aos emigrantes que entraram em Portugal pela principal fronteira terrestre e apelaram aos cuidados na estrada e também na floresta, para que sejam evitados os incêndios.

O secretário de Estado da Proteção Civil, José Artur Neves, disse aos jornalistas que a ação de sensibilização dos portugueses residentes no estrangeiro para questões rodoviárias é importante para a redução da sinistralidade.

“A sinistralidade rodoviária é, de facto, um problema que precisa, também, de ser atacado. E é uma questão, também, de educação para os riscos. Quando se está a conduzir um automóvel, deve-se, naturalmente, também, assumir uma outra cultura. Uma cultura que, à partida, previna o cidadão para o risco que pode acontecer na estrada”, justificou.

Disse que em 2017, “houve uma inversão preocupante” no número de mortos na estrada por cada milhão de habitantes e que o objetivo do Governo é, em 2020, atingir, “no máximo, 40 mortos por milhão de habitantes”.

“É esse o objetivo traçado pela estratégia nacional, que é mais ambiciosa [do que] aquela que é traçada pela União Europeia que é de 46 mortos por milhão de habitantes. Nós, em Portugal, idealizamos, projetamos, planeamos chegarmos a 2020 com um máximo de 40 vítimas por milhão de habitantes”, afirmou.

José Artur Neves referiu que é esse trabalho que o Governo está a “procurar desenvolver no terreno”, no sentido de a estratégia permitir atingir esses resultados que estão delineados.

Sobre a campanha de sensibilização rodoviária “Sécur’Eté 2018: Verão em Portugal”, que está a decorrer em Vilar Formoso, Luciana Gouveia, diretora geral da associação de jovens lusodescendentes Cap Magellan disse à Lusa que, com a sua realização, são evitadas mortes e acidentes nas estradas.

“Nós acreditamos plenamente nisso. A campanha já vai na 16.ª edição. Os números da sinistralidade rodoviária, no ano passado, não foram bons, este ano estão melhores, o que prova que, de facto, as campanhas são necessárias”, disse.

Referiu ainda que conselhos para os cuidados a ter ao volante “nunca são demais”, porque os emigrantes realizam trajetos longos até chegarem ao destino.

Pelas contas da GNR, este fim de semana vão entrar em Portugal, pela fronteira de Vilar Formoso, cerca de 20 mil veículos de matrícula estrangeira.