Mar faz crescer a Madeira

12 Fev 2019 / 02:00 H.

Os últimos dados disponíveis sobre a evolução da economia do mar na região da Madeira são referentes ao ano de 2017 e a mensagem que trazem é categórica, o mar está a fazer crescer a economia da Região e do País. Nos últimos 9 anos, 2017 foi, sem dúvida, o ano que registou a melhor evolução do conjunto das variáveis da economia do mar analisadas pelo LEME – Barómetro PwC da Economia do Mar (Zoom Madeira). A performance é tão alta, que será impossível ter melhor performance em 2018, os primeiros indicadores que começam a surgir sobre 2018, demonstram que a performance de 2017 é melhor do que a de 2018. De acordo com o LEME Zoom Madeira, em 2017, 94% das variáveis analisadas da economia do mar da região registaram uma evolução favorável. Considerando o país como um todo a percentagem de variáveis analisadas da economia do mar que tiveram uma evolução favorável foi de 68%. Este valor de 68% que o país registou é um valor muito significativo e a Madeira contribui positivamente para o mesmo. A comparação entre as duas percentagens não é direta, pois o total do país, inclui variáveis relativas à defesa, segurança, construção naval que não têm variável equivalente direta, na análise regional que é feita. No entanto, é claro que o crescimento da economia do mar do país e da região tem sido maior que o crescimento da economia como um todo.

Desde o ano de 2009 que o LEME constrói indicadores sobre a evolução da economia do mar em Portugal e as conclusões desta série de 9 anos são bastante animadoras. “O período 2009-2014 foi um período bastante crítico para a economia Portuguesa, registando taxas de crescimento do produto interno bruto negativas ou próximas do zero. No entanto, cerca de 50% das variáveis da economia do mar, monitoradas no LEME, foram registando crescimentos anuais. No momento em que a economia no seu geral começou a dar sinais de redução da instabilidade (2015, 2016 e 2017) a percentagem de variáveis que tiveram um comportamento positivo, monitoradas pelo LEME, ultrapassou os 50% (83%, 60% e 68%, respetivamente). Curiosamente, quando se analisa evolução das variáveis do LEME Zoom Madeira, o grau de sensibilidade das mesmas é maior, ou seja, em períodos de crise, a economia do mar da Madeira sofre mais do que a média nacional, em períodos de crescimento da economia geral, a economia do mar da Madeira cresce mais que a média nacional.

Mesmo com este bom desempenho, existem desafios a ultrapassar. Os desafios da economia do mar estão muito relacionados com a necessidade de redução da burocracia, a necessidade de consistência das medidas no médio e longo prazo e a necessidade de investimento e financiamento pacientes, ou seja, que tenham maturidades de médio e longo prazo. Um desafio muito importante é o da necessidade de renovação das frotas da marinha de guerra e de comércio, assim como a da pesca.

O tema central da nona edição do projeto de responsabilidade social LEME – Barómetro PwC da Economia do Mar é “A Importância da Geoestratégia Marítima”. A maioria dos lideres inquiridos (60%) considera que potenciais investidores externos atribuem elevada importância à localização geográfica de Portugal quando analisam oportunidades de investimento na economia do mar. Adicionalmente, 66% considera que podem existir estados que apenas procuram investir na economia do mar em Portugal por razões geoestratégicas. Neste contexto, é fundamental debater a importância da geoestratégia marítima para Portugal. É o que iremos fazer, no dia 12 de fevereiro, no Comando Operacional da Madeira, onde reuniremos os principais lideres e especialistas nesta matéria.

Miguel Marques

Tópicos