Finalmente um Governo completo???

Chegou-se ao cúmulo de ir buscar uma pessoa que já tinha sido demitido da mesma pasta, que por falta de coluna vertebral aceitou o “lugarzinho”

13 Jan 2020 / 02:00 H.

As últimas eleições Regionais aconteceram a 22 de Setembro e na noite desse mesmo dia os madeirenses souberam os resultados: Pela primeira vez o PSD não conseguiria maioria absoluta e haveria um Governo de coligação com o CDS, governo esse que demorou mais de três meses a ficar completo (???). Constituíram o governo com maior número de Secretários Regionais, pois o PSD não abdicou de nenhuma das suas secretarias e criou mais uma secretaria e meia para o CDS. Foi criada a Secretaria do Mar, que foi dada a um autarca serrano do CDS e Meia Secretaria de Economia para o atual Líder do CDS, porque parte da Economia continuou na Vice-Presidência. Não percebemos se foi por falta de confiança no novo Secretário, se foi o vice-Presidente que não prescindiu daquilo que tinha sido seu no governo anterior, ou, ainda se seria que não interessasse que o CDS ficasse a saber o que se tinha passado no mandato anterior (???).

A Secretaria do Mar, que teria razão de existir se de facto fosse ocupada por um “expert”, mas na realidade, gostaríamos de saber o que faz o Secretário durante um dia inteiro. Ficou também com a Direção Regional das Pescas que transitou da Agricultura e criou a nova Direção Regional do Mar, onde colocou uma técnica com bons conhecimentos e segundo a Comunicação Social, especialista em Raias e Tubarões. Pelos vistos terá muito trabalho, pois o número de tubarões é mesmo elevado, o maior de sempre...

Nunca um governo demorou tanto tempo a ser constituído, como já o dissemos, noutros tempos, era tudo feito em cerca de uma semana ou duas. Não percebemos mesmo como é que se demora tanto, mesmo considerando terceiras e quartas escolhas, até porque as incompetências do governo anterior transitaram para este governo. Chegou-se ao cúmulo de ir buscar uma pessoa que já tinha sido demitido da mesma pasta, que por falta de coluna vertebral aceitou o “lugarzinho”. Parece que o CDS esgotou por completo os seus quadros e por isso mesmo não exigiu mais ao PSD, apesar de haver alguém que ainda ficou uns dias no parlamento regional a engolir os sapos que durante o mandato anterior mandou cá para fora. Só José Manuel Rodrigues se apercebeu da fragilidade do PSD que a todo o custo, incluindo o lugar de Presidente da Assembleia queria segurar o Governo e por isso mesmo esticou fortemente a corda. Contudo surge-nos uma dúvida, porque se o CDS tivesse mais habilidade politica, teria ficado, também, com a Secretaria da Saúde, evitando assim que o seu membro mais ativista nesta área tivesse que deixar o seu lugar de Deputado, sem que isso tivesse sido devidamente esclarecido.

No dia seguinte à tomada de posse começamos a perceber a maneira fácil como o CDS se integrou dentro do PSD, abrindo caminho à sua extinção, pois perdeu a sua identidade ao ir para um governo de coligação, com uma linguagem igualzinha à do maior partido. Deixou de revindicar o que pretendia, desde há mais de quarenta anos, para utilizar precisamente os mesmos termos daquele que foi o seu maior adversário durante mais de quatro décadas.

O numero de “Boys” aumentou e segundo consta houve muita gente que deixou de passar perto das sedes dos partidos da coligação com receio de serem convidados para irem para as centenas de lugares que o Governo disponibilizou, desde diretores Regionais, chefes de gabinete, adjuntos, assessores, secretárias, sociedades de desenvolvimento, etc.. pois não interessava a competência, mas apenas a disponibilidade e a simpatia pelos respetivos partidos. Houve mesmo casos caricatos de quem tivesse sido escolhido e depois afastado porque a bisavó da namorada foi vista numa arruada de um dos partidos da oposição, apesar de ser a pessoa mais competente para o lugar....Enfim jogadas que demonstram a incapacidade, a incompetência, o desrespeito pela “causa pública”...

Duarte Caldeira Ferreira