Dez desafios que se colocam ao PS Madeira

O eleitorado anseia por um governo de cor política diferente daquela que nos tem governado nos últimos 43 anos

11 Out 2019 / 02:00 H.

Com estas últimas eleições legislativas encerrou-se um ciclo político na Madeira.

Estamos neste momento numa encruzilhada política e social que marcará o nosso futuro coletivo.

Dos últimos atos eleitorais ficam lições políticas relevantes que importa não esquecer. Destas, sublinho a necessidade de alternância política que transpira em todos os atos eleitorais. O eleitorado anseia por um governo de cor política diferente daquela que nos tem governado nos últimos 43 anos.

Torna-se assim claro que o partido que melhor se organizar em torno de projetos credíveis, com propostas que respondam às necessidades da nossa Região, será esse o partido que estará em condições de ganhar as próximas eleições regionais.

Colocam-se, pois, dez desafios ao PS Madeira.

1 - Projeto político

O PS precisa de definir de forma clara o seu projeto político e apresentá-lo de um modo realista a toda a região. Um projeto que terá de ser simples, exequível e credível. Que respeite a história da Madeira e os valores Europeus em que o PS Madeira tem a sua base ideológica. Construído por todos os militantes e com o contributo de todos os que a ele queiram aderir.

2 - Coesão

Para uma verdadeira alternativa, é necessária a cooperação de todos. Simpatizantes ou cidadãos anónimos, militantes novos e militantes de sempre. Respeitando as diferenças e sabendo realçar que é dessas diferenças e desse respeito que nasce a força do Partido Socialista.

3 - Militância política ativa

É preciso chamar todos os militantes para a participação política. Em todas as áreas e de todos os modos. Ouvindo o seu contributo na construção das propostas locais, regionais, das propostas setorais ou transversais. Mas também no modo de gestão e administração do Partido e das suas opções políticas do dia-a-dia.

4 - Implantação regional

Este será o desafio mais imediato. Uma concentração especial na preparação do próximo embate eleitoral. Ser capaz de apresentar em cada freguesia e em cada concelho as propostas que mais vão ao encontro das necessidades das populações. Mas sempre com o respeito pelos valores do Partido Socialista e com respeito pelo trabalho histórico que sempre o PS desenvolveu, em cada sítio, de defesa dos cidadãos.

5 - Autonomia

Mais do que defender a autonomia, o primeiro desafio que se coloca neste âmbito é o de explicar a razão de ser da autonomia no quadro político nacional. Só então seremos capazes de estar em condições de dotar a Madeira dos instrumentos necessários à sua transformação económica e social para a segunda metade do século XXI.

6 - Defesa do Socialismo Democrático e da Social Democracia

São estes os valores que nortearam a construção da matriz política europeia da modernidade. Na construção do Sistema de Saúde, de Segurança Social, de proteção do trabalho e de educação. Nos direitos e deveres do Homem e na sua centralidade no desenvolvimento económico. Cabe ao PS Madeira ser o fiel depositário da defesa dos seus valores e demonstrar a sua aplicabilidade e importância na atualidade.

7 - Demonstrar as diferenças entre o pojeto político do PS das restantes forças partidárias

Numa época em que a uniformidade parece ser o norte de todas as ações na nossa sociedade percebemos que faz sentido, hoje mais do que nunca, estabelecer no PS Madeira uma política própria e com caráter, Em prol da sociedade e com abnegação individual. Deixando claro que para existir uma verdadeira viragem na política regional terá de ser o PS Madeira a vencer as eleições e a gerir os destinos da Madeira.

8 - Definição de ações e áreas prioritárias

Existem problemas imediatos que exigem uma ação rápida e eficaz. Deve ser o PS o partido capaz de apresentar essas novas propostas. Capaz de responder às necessidades das nossas populações em todos os seus extratos sociais. Devem fazer face aos constrangimentos financeiros públicos, incidir sobre as áreas fundamentais da nossa vida em sociedade como a saúde e a educação e devem ser relevantes para a dinamização da nossa economia, nomeadamente no setor dos transportes e no apoio à transformação tecnológica das nossas empresa. São imperativas as medidas ambientais capazes de fazer face às alterações climáticas, no imediato.

9 - Definição de políticas capazes de relançar o crescimento económico e social da Região no longo prazo

Terá de ser capaz o PS de apresentar propostas no sentido da diversificação da nossa economia. Lançar as bases para uma economia que compita num futuro incerto e complexo a todos os níveis, em que a excelência, através da eficiência e da eficácia, sejam capazes de fazer singrar a economia regional no Mundo.

10 - Afirmação da Madeira no país, na Europa e no mundo

Os adventos da Globalização facilitam a que a mensagem chegue a todo o Mundo. Mas a verdade é que, também fruto da Globalização, enfrentamos hoje a concorrência de todo o mundo. É nesse sentido que é necessário, mais do que nunca, utilizar todas as potencialidades da localização geográfica da Madeira, no seio da Macaronésia para estabelecer a Madeira como uma porta de entrada na Europa e uma plataforma circulatória atlântica, capaz de ligar os continentes africano, americano e europeu. Contribuindo assim para uma verdadeira globalização não só económica, mas também política, cultural e, acima de tudo, social.

São estes, para mim, os desafios que se colocam ao PS Madeira. São os desafios que se colocam a um partido que tem de responder aos desafios que se colocam à nossa região, neste momento e no futuro. Sintetizando tudo o que foi dito (e muito mais haveria a dizer), esta é, para mim, a receita para colocar o PS Madeira ao serviço da Madeira, como tem sido seu apanágio desde 1973.

Carlos Jardim

Tópicos

Outras Notícias