Paciência...

Encontrarmos hoje em dia algo ou alguém com quem nos identificamos é encontrar a tal agulha no palheiro como diz o famoso provérbio português

05 Jun 2019 / 02:00 H.

Com o Mundo a mudar todos os dias a uma velocidade alucinante um dos maiores segredos para o sucesso quer pessoal ou profissional chama-se paciência.É por isso tão difícil nos dias que correm duas pessoas se alinharem, assim tal qual a estrelas e corresponderem-se uma na outra.É a diversidade de oportunidades mas também um pouco do nosso egoísmo de querermos cada vez mais as coisas à nossa maneira sem tempo para esperar , sem darmos oportunidades para que as coisas resultem e sem nos colocarmos na posição dos outros percebendo que por vezes existem razões para determinado tipo de atitudes que não podem ser escamoteadas nem ignoradas.

As personalidades são mais definidas e a quantidade de informação que vamos recebendo baralha-nos as ideias e a própria prossecução dos nossos objetivos . É por isso tão mais fácil por vezes desistir de tudo, ir embora e nem querer saber, partir para outra ou pura e simplesmente ficar no nosso canto, sozinhos sem que ninguém nos chateie ou incomode , sem termos que dar satisfação nem entrar em diálogo sobre assuntos que não queremos ver desenvolvidos só porque não nos apetece dar justificações nem ouvir as que vêm do outro lado. Terminar , seja o que for , é o reflexo de uma sociedade que tem cada vez menos “poder de encaixe” , que não sabe nem tenta definir novos caminhos nem sequer emendar coisas que pensando bem podem não estar assim tão erradas.

É por isso que as relações humanas são a mais dura das tarefas , as que nos exigem uma maior complexidade de movimentos e de análise. Nesse sentido o primeiro passo é e será sempre falar sobre os assuntos que nos incomodam, nos irritam ou com os quais temos dúvidas. Porque é a conversar que se resolvem os problemas e que acima de tudo se clarificam mal entendidos. Darmos a oportunidade aos outros para expôr os seus pontos de vista, para se justificarem é o primeiro passo para evitarmos atitudes irrefletidas de que mais tarde muitas vezes nos vimos a arrepender. Sendo cada vez mais difícil nos tempos que correm encontrar convergências é fundamental termos a capacidade de ouvir e de tentar compreender porque não existe nenhuma história de sucesso ou de felicidade que conheçamos que tenha sido perfeita, só feita de momentos fáceis , de sorrisos e de alegria.

Encontrarmos hoje em dia algo ou alguém com quem nos identificamos é encontrar a tal agulha no palheiro como diz o famoso provérbio português. Sentirmos esse click, essa química , esse conforto de ideias que nos remete para a qualidade ou para o bem estar deve ser por nós obrigatoriamente alvo de reflexão que nos dê a motivação e a vontade de conseguirmos nos dias menos bons lembrarmo-nos da razão pela qual chegámos até aqui e pesarmos nos pratos da balança se não fará todo o sentido trocarmos as atitudes imponderadas pela tal capacidade de respirarmos fundo, de termos paciência , acalmarmos os ânimos e percebermos dentro de nós se vale a pena deitar tudo a perder ou se não será tempo de lutarmos pelo que acreditamos.

Essa é para mim uma das grandes magias da Vida. Escolhermos o menos fácil , o que às vezes é mais duro e enviesado mas que nos leva a alguma fim melhor.Tenho por isso a ideia de que relacionarmo-nos com alguém é um exercício de altruísmo e de maturidade, de crescimento em prol do que nos faz bem. Porque no final do dia todos nós queremos ser felizes e amados , termos quem nos apoie e nos faça melhores , que nos ature mas que nos dê a volta à cabeça , nos surpreenda e nos defenda, esteja lá quando é mais difícil e nos proporcione muitos momentos daqueles inesquecíveis. Quando temos pessoas assim à nossa volta é nosso dever fazer tudo para as manter e alimentar com todas as nossas forças para que perdure. São os que estão à nossa volta que fazem também o que nós somos.Termos quem nos quer e quem vai até ao fim do Mundo para nos conquistar é das coisas mais fascinantes e mais raras que podemos encontrar . Não há dinheiro que pague isso. Somos feitos de sentimentos e são os que escolhemos para estar ao nosso lado que os traduzem da melhor forma.

José Paulo do Carmo