O ferrari do padre Giselo

Exigir ao Padre Giselo Andrade fidelidade a um dogma da igreja perante uma gaja boa é um pecado

19 Nov 2017 / 02:00 H.

“Padre Giselo Andrade assume a paternidade de uma criança” (DN. 02.11.2017).

1. Sobre o Padre Giselo, o celibato e a paternidade versus o direito canónico já está tudo dito por gente inteligente e pela mantilha de necrófilos das redes sociais. Já sobre os “superiores interesses” da criança em ter um pai identificado a moldar a sua personalidade – excepção feita ao senhor Coronel Ramiro Morna – zero. E a zero vai continuar o conta-quilómetros desta novela religiosa porque, na Madeira, esta coisa de ser pai dá um trabalho do caneco. A malta quer é copos e gajas e a mãe que trate dos filhos. Sabemos. “Como Deus não é omnipresente inventou a mãe.”

2. O Bispado do Funchal é um monte de esterco. Esterco quando esmifra a longanimidade jurídica até o Supremo Tribunal de Justiça de bens doados para ajudar doentes oncológicos – esterco quando mantém silêncio sobre os padres homossexuais e pedófilos que pululam nas igrejas da Madeira. Desenho? O “testamento de Eugénia Bettencourt” e o pedófilo do Padre Frederico Cunha que, condenado por homicídio na Madeira, ainda foi socorrido a pirar-se para o Brasil. A meio deste esterco eclesiástico está sempre escondida na sacristia a “Abreu Advogados da Madeira”. A hóstia, claro, é uma avença milionária paga pela Diocese do Funchal. E o Ricardo Vieira a ler a Bíblia em missas e a cantar no coro de Natal do Mercado do Funchal. Advogado, “padre” e sacristão em horas vagas é o que está a dar.

3. Enquanto estavam todos distraídos a teorizar sobre o pecado do Padre Giselo Andrade e o celibato do catolicismo retrógrado da Igreja da Madeira, detive-me a apreciar detalhes. O detalhe do Padre Giselo Andrade estar rotulado de homem “jeitoso” e da mãe da sua filha, no dizer dos paroquianos do vinho seco do Monte, ser uma mulher de Câmara de Lobos “muito bonita”. Ou seja, mais copo, menos copo, uma gaja boa.

4. Vasculhando os caminhos da fé dos homens da Madeira encontrei uma foto da mãe da filha do Padre Giselo Andrade. Ei-la: estado usado (7.500k), diesel, velocidades automáticas, direcção assistida, airbangs MP3, Bluetooth, controle de temperatura e o equipamento extra de sensores de ajuda ao estacionamento traseiro. A boca de incêndios já está incluída. Ora, uma bomba destas não é compatível com bispos, cardeais, padres, matrimónios, paternidades, celibatos, fidelidades e conjugalidades.

5. Donde, exigir-se ao Padre Giselo Andrade fidelidade ao celibato – exige-se. Já exigir-lhe fidelidade a um dogma da igreja perante uma gaja boa – é pecado. O homem, até prova em contrário, gosta de dar as suas “fodidinhas.”

6. Eis, pois, o mistério da fé da Diocese do Funchal. O espermatozoide cambado do Padre Giselo Andrade.

António Fontes
Outras Notícias