Artigos

Uma estratégia consolidada

Em matéria ambiental, a Madeira tem dado exemplos a nível nacional e internacional.

Para essa realidade muito contribuíram as políticas desenvolvidas pelas entidades públicas mas também um forte comprometimento da população, de onde destaco os professores e as empresas.

Hoje, a Madeira é líder nacional na atribuição do galardão Green Key, um dos maiores rótulos ecológicos internacionais atribuídos a empresas de restauração e alojamento.

Em 2016, 60% dos hotéis galardoados em Portugal encontravam-se na Madeira. Esta é uma demonstração clara do comprometimento do mercado regional para com o desenvolvimento turístico sustentável.

A nossa Região apresenta a mais alta taxa de cobertura do país no Programa Eco-Escolas. São 138 instituições, que representam 64% dos estabelecimentos de ensino da Região, foram galardoadas com a Bandeira-Verde, símbolo da aplicação de boas-práticas ambientais pela comunidade escolar. São mais de 26 mil alunos e 3 300 professores diretamente envolvidos em atividades de cariz ambiental, contribuindo para a formação de cidadãos mais conscientes, mais responsáveis e mais proativos na nossa sociedade.

A Madeira conta hoje com 18 Sítios classificados ao abrigo da Diretiva Habitats, 11 dos quais já designados como Zonas Especiais de Conservação e 15 Zonas de Proteção Especial ao abrigo da Diretiva Aves. Têm sido reconhecidos mais sítios na Rede Natura 2000 e criados novos parques naturais marinhos.

Prosseguindo esta estratégia de conservação que preserva, sem que isso signifique a exclusão dos cidadãos da fruição desses espaços, a Madeira apresentará uma proposta para criação de uma reserva para cetáceos, “Sítio Cetáceos da Madeira” – abrangendo 635 mil hectares de água protegida.

Será a maior em todo o Atlântico Norte – uma iniciativa inovadora e de excelência.