Ao António Costa

17 Mai 2019 / 02:00 H.

O Dr. António Costa, Primeiro-Ministro de Portugal estará na Madeira no próximo Domingo, pelas 10 horas no Tecnopolo na qualidade de Secretário Geral do Partido Socialista, numa ação de campanha eleitoral para as Europeias do próximo dia 26 do corrente mês de Maio e queríamos pedir-lhe um favor em relação ao seu futuro.

O Dr. Carlos Moedas, representante português na Comunidade Europeia, como Comissário Europeu, veio a público dizer que considerava António Costa o “líder dos Socialistas Europeus”. Esta afirmação têm a ver com o prestigio que António Costa ganhou na Europa, por tudo o que tem feito por Portugal, contrariando inicialmente as diretivas dos organismos europeus e mundiais e pelos vistos conseguiu convencer os grandes Iideres da Europa, que Portugal é que estava correto e não o Governo anterior de Passos Coelho que só tinha conseguido mais austeridade com a sua própria austeridade, que seguiu as indicações vindos da Europa, culminando com a sua habilidade politica no caso dos 9 anos, 4 meses e 2 dias, de alguns professores, evitando uma crise politica que poderia levar Portugal a eleições antecipadas. O seu sentido de justiça, de defesa do país e pelos direitos igualitários de todos os trabalhadores da Função Pública, levou-os a avisar em, especial a direita portuguesa (PSD e CDS), que infantilmente tinham caído numa ansia de fazer oposição, proporcionando a aprovação de um texto que seguiu para plenário, que além de complicar em muito as finanças do nosso país, iria cometer uma irregularidade de recuperação de tempos de congelação, provocando o aparecimento de filhos e enteados, que se demitiria no caso dessa lei ser aprovada no Plenário da Assembleia da República.

A direita fez marcha atrás, apesar de todas as acusações que lhe fizeram, chumbaram o referido projeto de lei. A sua firmeza fez tremer esses dois partidos e apesar de terem deitado a lei abaixo, foram arranjando umas desculpas esfarrapadas, cada vez se enterrando mais, demonstrando os dois partidos de direita de que não estavam preparados para governarem o país.

A Europa veio a publico elogiar todo o trabalho de António Costa, ganhando Portugal um maior folego e mais respeito entre os seus pares. Já Centeno tinha ganho um lugar Europeu, como o chefe das finanças da comunidade, depois de se ter distinguido na recuperação das nossas finanças e ajudado a alavancar a nossa economia. Aliás é esperado que Portugal consiga bater novos recordes mínimos dos juros da dívida nos próximos empréstimos. Estes elogios vieram também, como já afirmamos do único Comissário Europeu português, Dr, Carlos Moedas militante do PSD e indicado por esse partido para ocupar esse lugar, certamente devido ao que ouviu falar nos corredores sede da EU, sentiu-se obrigado a transmitir publicamente a sua opinião...

Entretanto começaram correr na praça pública boatos de que António Costa poderia ser o próximo candidato a líder da UE. É precisamente este ponto que nos levou a escrever este artigo. Queria pedir-lhe que continuasse a ser o Primeiro Ministro de Portugal, porque precisamos de si e da sua equipa. Tem um trabalho para acabar o da estabilização das finanças Públicas, a diminuição dos impostos sobre o trabalho, a diminuição da dívida pública que Passos Coelho aumentou de 94 para 130% do PIB e que apesar do deficit ter baixado quase para o zero, a divida também já baixou, mas precisa de baixar mais, para números mais seguros contra alguma crise que surja novamente.

Na Madeira também precisamos de si. Há muito que fazer por aqui, principalmente limpar a imagem tão denegrida pelas notícias nacionais e com grandes responsabilidades para o Governo Regional, nomeadamente no caso da Dividas à Caixa Geral de Depósitos e do Centro de Inspeções de Automóveis, para além do palavreado de “calhau” dos nossos governantes. O PS/M está cada vez mais com possibilidades de vencer as próximas regionais e vamos precisar de si, não só para defender o bom nome da nossa Região, mas também para combatermos o que publicamente se fala da corrupção. Precisamos para pormos a Madeira a aumentar a sua produção e diminuir a dependência do exterior, para diminuirmos a carga fiscal altíssima que atualmente se aplica na nossa terra, para números semelhantes aos Açores. Precisamos de resolver a questão da mobilidade quer por via marítima, quer por via aérea, de resolver uma situação caótica no Serviço Regional de Saúde, para beneficiarmos do facto de sermos Ilhas Atlânticas, para ganharmos com o mal aproveitado mar que nos rodeia, não esquecendo o que mais conta no PIB Regional, o Turismo. No domingo será dado o “ à meia deputada do PSD, o “cheque mate”.

Por favor António Costa, fique por cá, precisamos de si, porque da nossa parte procuraremos fazer o melhor possível pelo nosso país, sim pelo nosso país, porque quanto mais fizermos pela Região Autónoma Madeira, mais engrandeceremos PORTUGAL.

Duarte Caldeira Ferreira
Outras Notícias