A UMa no Concurso Nacional de Acesso

Os cursos da UMa foram escolhidos em 1ª opção por 741 candidatos o que corresponde a um aumento de 17,4%

20 Set 2019 / 02:00 H.

Na 1ª fase do Concurso Nacional de Acesso ficaram colocados na Universidade da Madeira (UMa) 558 estudantes. Trata-se do maior número de colocados, na 1ª fase deste concurso, desde 2009.

Hoje decorre o último dia para as candidaturas da 2ª fase e a UMa ainda tem vagas disponíveis em quase todos os cursos. Às 83 vagas inicialmente disponíveis juntam-se os lugares de alguns colocados que não efetivaram as suas inscrições, ou que mudarão de curso na 2ª fase.

O estudante deve apresentar candidatura para o curso para que tem vocação mesmo não constando atualmente vagas disponíveis, pois pode surgir a possibilidade de colocação, pelos motivos atrás expostos.

Relativamente ao ano passado, para além do aumento no número de colocações, mais 54, que se traduz num aumento de 10,7%, também aumentou a nota média dos colocados, tendo passado de 14,1 para 14,4.

Os cursos da UMa foram escolhidos em 1ª opção por 741 candidatos, o que corresponde a um aumento de 17,4%, comparativamente ao ano transato.

A Universidade da Madeira possui estruturas de atendimento e de apoio aos estudantes em múltiplas situações. No caso de carência económica para além das bolsas de estudos da Ação Social, existe um Fundo de Emergência da UMa, bolsas de estudos oferecidas por instituições públicas e privadas, Bolsas da Alimentação criadas pela Associação de Estudantes e apoiadas pela Reitoria, e é possível pagar a propina em 10 prestações.

Salienta-se que os docentes têm um horário de atendimento aos estudantes, para esclarecimento de dúvidas, que é muito importante no combate ao insucesso. Querer esclarecer dúvidas, no processo de estudo é saudável, enriquecedor para o saber e para a relação estudante-professor e fundamental para o sucesso.

A inserção na vida académica universitária acarreta exigências que obrigam um estudante a adaptações por vezes bruscas, nomeadamente quando de um momento para o outro se vê obrigado a assumir o papel de organizador de todas as suas necessidades diárias. Naturalmente, quem é da RAM continua a poder usufruir do apoio familiar, mesmo ficando na residência universitária. Mas estudar na UMa é também uma oportunidade para interagir com estudantes de fora da região. Contando apenas com os estudantes que assinalaram distritos de fora da RAM, a UMa contou, no ano passado, com 45 estudantes oriundos do continente. Relativamente aos estudantes estrangeiros, em 2018/19 foram 175, dos quais 39 não possuíam nacionalidade europeia. Para além destes, contam-se os estudantes de Erasmus que vêm estudar na UMa durante 1 ou 2 semestres e que neste primeiro semestre serão 71.

Por outro lado, em relação à mobilidade Erasmus de estudantes da UMa, em 5 anos, passámos de 38 para 160 bolsas, por ano letivo.

Custódia Drumond
Outras Notícias