No Natal não esqueçam o ambiente

21 Dez 2006 / 22:49 H.

Estamos novamente a chegar ao Natal e como já vem sendo hábito o apelo ao consumo excessivo é o aspecto mais marcante desta época. A sociedade fervilha de actividade com as compras, os jantares, as visitas, enfim... é o Natal. No meio desta azáfama esquecemos muitas vezes que, para além dos efeitos na nossa algibeira, este consumo excessivo traduz-se em consequências graves para o ambiente.
Actualmente as sociedades humanas consomem mais recursos do que os que o próprio Planeta consegue repor. Estamos já em desequilíbrio em direcção a uma situação insustentável que se poderá traduzir na falta de recursos para a sobrevivência das próximas gerações. Se todos os habitantes da Terra consumissem tanto como os portugueses, seriam necessários mais dois Planetas como o nosso. Não podemos continuar a ter um Natal farto e de desperdício à custa da fome e da míngua dos nossos netos e da que actualmente ainda existe em muitas sociedades.
A semana do Natal e do fim de ano é, por exemplo, o período em que se produz mais lixo. As embalagens das prendas e das novas aquisições lá para casa, os equipamentos velhos substituídos, o papel de embrulho dos presentes, os restos de comida e os talheres e embalagens descartáveis utilizados nos convívios de familiares e amigos são algumas das razões para que a quantidade de lixo, já elevada ao longo de todo o ano, seja ainda maior no mês de Dezembro.
Mas este não é um cenário inevitável. O Natal não tem de ser sinónimo de lixo e desperdício. Alguns cuidados simples podem ser um grande contributo para minimizar este problema. A utilização de embalagens retornáveis e de tamanho familiar, a reutilização do papel de embrulho, a não utilização de produtos descartáveis e a separação dos resíduos para reciclagem são alguns dos contributos que todos nós podemos dar.
O Natal é também uma época muito marcada pelas iluminações. A energia eléctrica consumida em excesso resulta numa maior emissão de gases poluentes pois a sua produção depende em larga medida da queima de combustíveis fósseis. Poupar energia é, portanto, outro contributo que podemos oferecer à sociedade, minimizando os prejuízos sobre o ambiente. Utilizar lâmpadas fluorescentes mais eficientes e económicas, apagar a luz nas divisões que não estão a ser utilizadas, evitar o recurso ao aquecimento isolando bem a casa e desligar a gambiarra do presépio quando vamos dormir são excelentes prendas a oferecer ao Ambiente.
Como no Natal são frequentes as visitas a familiares e amigos, para além dos passeios pela ilha, tente gastar o mínimo de combustível no seu veículo, desta forma estará também a contribuir para uma menor poluição do ar. Sempre que possível utilize os transportes públicos, partilhe o carro com amigos e familiares, evite as velocidades excessivas e as acelerações e travagens bruscas. Para além de reduzir os seus impactes ambientais negativos estará também a contribuir para a sua segurança.
Na preparação da tradicional lapinha tenha muito cuidado na escolha dos materiais. Utilize os enfeites de anos anteriores e aproveite materiais já usados para este fim. Tome muita atenção às plantas que recolhe na Natureza. Existem plantas protegidas, como o azevinho e o alegra-campo, que não devem ser utilizadas. Tenha preferência por galhos e outros materiais secos que se podem encontrar na Natureza.Hélder Spínola

Outras Notícias