A vez da Geração Europa

A Sara Cerdas
não é “apenas”
a candidata do
PS às eleições europeias – é a candidata dos jovens, das mulheres

15 Mar 2019 / 02:00 H.

Em 1985, Mário Soares deu o pontapé de saída, mais um, para mudar o futuro do país e, de uma forma muito especial, das Regiões Autónomas. A integração de Portugal na Comunidade Europeia teve benefícios unanimemente reconhecidos para a nossa Região - e trouxe, entre outras coisas, muito dinheiro, que se devia ter traduzido em mais desenvolvimento social. Em muito mais desenvolvimento social.

Há pelo caminho opções que hoje praticamente todos reconhecem como erradas, que nos encaminharam para uma aposta sobretudo no betão. Passado este tempo, a Madeira continua a ter a maior taxa de desemprego nacional e a maior taxa de desemprego jovem; continuamos com uma das maiores taxas de abandono escolar precoce e das menores taxas de escolarização superior; e continuamos com um risco de pobreza demasiado elevado. É esse o presente que temos, como resultado das mesmas má escolhas de sempre no passado.

Mas nem tudo é mau. A Europa abriu-nos portas que vão muito para além do financiamento; abriu-nos possibilidades e horizontes. Há hoje uma geração nascida a partir de 1986 que não conheceu outra coisa que não fosse a integração europeia, a inexistência de fronteiras e que só se recorda de viver com o Euro e da vida universitária com o programa Erasmus.

A Sara Cerdas é um produto dessa geração: a Geração Europa. Madeirense, depois de ter feito um percurso escolar exemplar, que lhe garantiu o acesso a Medicina, e no desporto, com títulos regionais, nacionais e internacionalizações na natação, rumou a Lisboa, como milhares de madeirenses, onde conciliou o seu percurso académico com um percurso associativo que incluiu estruturas locais, nacionais e internacionais. Depois de representar ao mais alto nível a Madeira primeiro e a Medicina depois, abraçou a Saúde Pública e rumou à Suécia, onde estabeleceu temporariamente a sua vida académica e pessoal, com um Mestrado concluído e um Doutoramento agora interrompido.

A Sara Cerdas não é “apenas” a candidata do PS às eleições europeias – é a candidata dos jovens, das mulheres, dos madeirenses e porto-santenses. É o rosto da juventude e da igualdade de género; do desporto de alto nível aliado à educação; da academia que dá espaço ao associativismo; do exercício da profissão aliado à investigação; dos partidos coligados com a sociedade civil. Não é apenas mais um rosto com um currículo de excelência; é um produto da Geração Europa, disponível para servir o país e a Região, construindo nos palcos europeus um novo Contrato Social, que nos garante mais Educação, mais Emprego, mais Protecção Social e maior Coesão. A Sara será o rosto de uma geração às quais se sucederão outras, que ainda hoje, dia 15 de Março, manifestar-se-ão na Região pelo seu futuro: pelo planeta Terra e pela causa maior de todas que é salvá-lo.

A Europa deu-nos novas oportunidades; agora, é tempo de retribuirmos para que todos possam ter verdadeiramente uma oportunidade de viver melhor. Queremos “a melhor geração de sempre, no melhor lugar de sempre, com o melhor resultado de sempre” - não pelo PS, mas pela Madeira, pelo país e pela Europa. Pelo nosso destino colectivo. Vamos a isto!

João Pedro Vieira
Outras Notícias