Vladimir Putin apela ao “bom senso” no caso Skripal

04 Abr 2018 / 16:40 H.

O Presidente russo Vladimir Putin disse hoje aguardar que “impere o bom senso” no caso Skripal, na origem de uma grave crise diplomática entre a Rússia e os países ocidentais.

“Esperamos que o bom senso prevaleça e que acabemos de infligir este imenso dano às relações internacionais”, declarou Putin durante uma conferência de imprensa em Ancara após uma cimeira sobre a Síria com os homólogos turco e iraniano.

A declaração surge no momento em que decorria em Haia, na sede da Organização para a proibição de armas químicas (OIAC) sobre o envenenamento do ex-duplo espião russo Serguei Skripal.

Londres atribuiu este envenenamento a Moscovo, e em represálias expulsou dezenas de diplomatas russos e anunciou o congelamento das relações bilaterais.

Cerca de 20 países apoiaram o Reino Unido e também anunciaram expulsões de diplomatas russos.

A Rússia, que tem rejeitado categoricamente qualquer envolvimento neste envenenamento, referindo-se a uma “campanha anti-russa”, respondeu com medidas similares que no total envolveram cerca de 300 diplomatas das duas partes.

A reunião da OIAC, pedida pela Rússia, decorre um dia após o anúncio por um laboratório britânico que não possui a prova que a substância utilizada contra o ex-espião russo em Inglaterra seja proveniente da Rússia, e que constituía um dos principais argumentos de Londres.