Rei da Jordânia realiza primeira visita em 10 anos ao Iraque

Iraque /
14 Jan 2019 / 15:18 H.

O rei Abdullah II da Jordânia chegou hoje a Bagdade, dez anos após a sua última visita oficial ao Iraque, e reuniu-se com o Presidente iraquiano, Barham Salih, com o objectivo de ampliar a cooperação entre os dois países.

Durante a reunião realizada no Palácio Salam, na capital iraquiana, os dois líderes acordaram “trabalhar para fortalecer as relações” entre Amã e Bagdade e estabelecer um “ponto de partida de um diálogo sério e construtivo para acabar com as crises regionais” e “para expandir os horizontes de cooperação” entre o Iraque e a Jordânia, informou a Presidência iraquiana num comunicado.

Barham Salih, um veterano político curdo que foi eleito Presidente pelo parlamento em outubro de 2018 e que visitou o território jordano no mês seguinte, também apelou ao fortalecimento da cooperação entre os dois países vizinhos nas mais diversas áreas (política, economia, segurança e serviços de informação), acrescentou a mesma nota informativa, citada pelas agências internacionais.

O rei Abdullah II foi o primeiro líder estrangeiro que visitou o Iraque em 2008 depois da queda do regime de Saddam Hussein em 2003.

As autoridades iraquianas também informaram hoje que o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Yves Le Drian, chegou esta segunda-feira a Bagdade para realizar uma visita oficial que será marcada por encontros com altos funcionários do executivo iraquiano.

Uma fonte da diplomacia iraquiana informou que esta deslocação de Jean-Yves Le Drian tem como principal objectivo discutir a cooperação entre Paris e Bagdade.

Na agenda de Jean-Yves Le Drian consta um encontro com o seu homólogo iraquiano, Mohamed Ali Al Hakim, uma reunião com o primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdelmahdi, e contactos com outros altos funcionários iraquianos.

Também em Bagdade encontra-se o ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Yavad Zarif, que chegou no domingo à capital iraquiana acompanhado por uma comitiva política e económica para reuniões com as autoridades iraquianas.

Outras Notícias