Preços dos produtos e serviços na Venezuela subiram 148,2% em Outubro

07 Nov 2018 / 22:55 H.

Os preços dos produtos e serviços na Venezuela subiram 148,2% em outubro, elevando para 833.997% a inflação acumulada nos últimos doze meses, segundo dados divulgados hoje pela Assembleia Nacional (AN), onde a oposição detém a maioria.

Os dados foram divulgados aos jornalistas pelo presidente da Comissão de Finanças da AN, Rafael Guzmán, que precisou que a média de inflação diária na Venezuela é de 3% em alimentos e que os dados de outubro representam uma “desaceleração” com relação aos números de setembro, quando os preços subiram 233%.

“As pessoas, a cada dia, estão consumindo menos, e esses produtos que deixam de comprar ocasionam perdas e levam a que baixe a produção”, explicou, insistindo que a “hiperinflação no país” tem “pulverizado o poder aquisitivo dos venezuelanos”.

Segundo Rafael Guzmán, a economia venezuelana deverá terminar 2018 com uma “hiperinflação acumulada de 1.000.000 (um milhão) por cento”.

“Estamos em hiperinflação, perante um Governo que não a reconhece. Isso complica as possibilidades de sair da tragédia económica que vivemos (...), mas com transparência, devolvendo a autonomia ao Banco Central da Venezuela, reestruturando a dívida externa e abrindo o mercado aos investidores, poderíamos sair desta situação”, frisou.

Por outro lado, recordou que em 2017 a Venezuela registou 2.616% de inflação.