Polícia espanhola desmantela fábrica subterrânea de cigarros

21 Fev 2020 / 05:32 H.

A polícia espanhola desmantelou nos arredores de Málaga, sul de Espanha, a primeira “fábrica subterrânea” de cigarros localizada na Europa, escondida debaixo de um estábulo para cavalos, onde se fabricavam mais de 3.500 cigarros por hora.

A Guarda Civil espanhola (correspondente à GNR) informou ontem em comunicado que a instalação estava escondida debaixo de um estábulo de cavalos e tinha “uma linha de produção completa que permitia o fabrico de mais de 3.500 cigarros por hora”.

Foram detidas 20 pessoas, incluindo um dos líderes da organização, um cidadão britânico que estava fugido das autoridades britânicas por crimes relacionados com o tráfico de drogas e falsificação de documento de identidade.

Quando os agentes entraram na fábrica clandestina, localizaram seis trabalhadores no seu interior com sérias dificuldades respiratórias, devido ao corte do fornecimento de energia que distribuía eletricidade às instalações.

Os agentes realizaram ainda buscas em 13 casas e vários prédios industriais, tendo encontrado 153.000 maços de cigarros, 17.600 kg de tabaco, 20 kg de haxixe e 144 gramas de marijuana, e desmantelado uma plantação interior deste narcótico.

O acesso à fábrica clandestina estava tapado por um grande contentor marítimo que era empurrado por uma máquina pesada para permitir o acesso.

A entrada das instalações ficava quatro metros debaixo do solo e acedia-se através de um monta-cargas e de umas escadas.

No interior havia seis trabalhadores de nacionalidade ucraniana cujo contacto com o mundo exterior era “nulo” e que estavam “totalmente fechados e abandonados à sua sorte”, segundo a Guarda Civil.

O mercado negro de maços de cigarro representa “46,3 mil milhões de cigarros em 2018” e um custo anual de “10 mil milhões de euros” para os Estados-membros da União Europeia, de acordo com a Europol.