Pedidos de subsídio de desemprego nos EUA disparam para 3,28 milhões

EUA /
26 Mar 2020 / 14:52 H.

Um número sem precedentes de 3,28 milhões de pessoas pediu na semana passada subsídios de desemprego nos Estados Unidos, face aos 282 mil pedidos registados na semana anterior, informou hoje o Departamento do Trabalho.

O aumento, devido ao encerramento de numerosas atividades em resposta à pandemia de covid-19, superou o recorde histórico de 695 mil pedidos registado em outubro de 1982.

À medida que as perdas de empregos aumentam, alguns economistas referidos pela Associated Press (AP) dizem que a taxa de desemprego no país pode aproximar-se de 13% até maio. Em comparação, a maior taxa de desemprego após a crise financeira de 2008-2009 foi de 10%.

Em fevereiro, a taxa de desemprego nos Estados Unidos tinha ficado em 3,5%, o nível mais baixo em 50 anos.

Os números hoje divulgados representam um aumento de três milhões de novos pedidos de subsídios de desemprego em relação à semana precedente, que tinha registado 282.000 pedidos.

“O aumento extraordinário de pedidos iniciais deve-se aos efeitos da covid-19”, salienta o Departamento do Trabalho no comunicado que publicou, precisando que são principalmente os setores do alojamento e restauração os mais afetados.

Outros setores como os dos transportes, entretenimento e artes são igualmente citados.

Mais de metade dos norte-americanos foram na última semana instados a ficar em casa para evitar a propagação do vírus.

As medidas de isolamento, adotadas em diferentes graus, atingiram grandes metrópoles e estados do país, incluindo os mais populosos, como a Califórnia e Nova Iorque, onde restaurantes e lojas tiveram de fechar temporariamente, tendo os setores dos transportes e do turismo sido igualmente bastante afetados.

As previsões mais otimistas dos analistas para os novos pedidos apontavam para 525 mil, enquanto outras antecipavam vários milhões.

Os analistas da ING indicam que como as linhas telefónicas ficaram bloqueadas e os ‘sites’ na internet entraram em colapso com todas estas inscrições, “milhões de pessoas só podem solicitar os apoios por desemprego nas próximas semanas”.

A pandemia de covid-19, que surgiu na China em finais de 2019, já infetou mais de 69.000 pessoas e fez mais de mil mortos nos Estados Unidos até hoje, segundo números da universidade Johns Hopkins.