Mercados convictos de que a saída do Reino Unido da União Europeia se irá prolongar

16 Jan 2019 / 11:04 H.

O governador do Banco de Inglaterra, Mark Carney, afirmou hoje que os mercados acreditam que a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) será adiada após o chumbo de terça-feira do acordo proposto pelo Governo britânico.

“Houve uma marcada subida da libra depois da votação e o que se comenta nos mercados, e coincide com a nossa própria informação, indica que esse aumento reflecte a expectativa de que o processo de decisão se estenderá e que a possibilidade de um ‘Brexit’ sem acordo pode ter diminuído”, declarou Carney, citado pela agência Efe.

Após uma descida inicial, a libra revalorizou-se em seguida face ao dólar e ao euro, após a Câmara dos Comuns ter recusado o acordo para a saída da UE proposto pela primeira-ministra, Theresa May.

O Parlamento britânico reprovou na terça-feira à noite de forma expressiva o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (’Brexit’) negociado pelo Governo de Theresa May com Bruxelas, com 432 votos contra e 202 a favor.

Com este chumbo, a dois meses e meio da data prevista para a saída do Reino Unido do bloco europeu (29 de março), o processo fica com um futuro incerto, insistindo a UE que cabe agora às autoridades britânicas clarificar como pretendem proceder a partir de agora.