Veja o que mudou nas serras do Funchal após a reportagem do DIÁRIO

20 Set 2019 / 21:00 H.

Uma empresa contratada pelo Governo Regional e que esteve a fazer a limpeza de espécies infestantes ao longo do caminho florestal entre a Barreira e o Pico do Areeiro, nas serras da freguesia de Santo António, abandonou resíduos silvícolas na natureza, obstruindo linhas de água e deixando material combustível nas bermas da estrada, após o término da intervenção. Por outro lado, o desbaste das giestas deixou na berma do caminho florestal um longo rastilho de matéria combustível.

Na reportagem publicada no dia 13 de Setembro, O DIÁRIO alertava para os perigos de entupimento das linhas de água e também para a propagação de incêndio. A população constatava que as máquinas tinham abandonado o terreno há mais de um mês e temiam que se repetisse uma situação semelhante à trágica aluvião de 20 de Fevereiro de 2010, dado que as valetas obstruídas são afluentes das ribeiras do Laranjal e de Santo António, que transbordaram no Inverno de há nove anos.

O presidente do Instituto de Florestas e Conservação da Natureza prometeu que a Floraram, empresa contratada para efectuar a intervenção em 100 km de rede viária florestal por 94 mil euros, iria ser contactada para voltar ao local e concluir os trabalhos. E assim foi. Voilá!

Outras Notícias