As focas mais raras do Mundo estão na Madeira

03 Dez 2018 / 18:54 H.

A revista National Geographic publicou um artigo sobre “a foca mais rara à face da Terra”, que se encontra precisamente na Madeira.

A foca-monge do Mediterrâneo (Monachus monachus), também conhecida como lobo-marinho, é o tema central de um extenso trabalho redigido por João Rodrigues, com o apoio fotográfico de Luís Quinta, constando na publicação desta conceituada revista no mês de Novembro.

“Vivem 20 a 25 anos solitários, o limite da sua longevidade, mas tornam-se mais gregários na época de criação. Durante esta fase, procuram praias abrigadas no interior de grutas ou mesmo praias abertas para acompanharem as suas crias durante quatro meses”, pode ler-se na publicação, que evidencia o trabalho efectuado pelo Instituto das Florestas e Conservação da Natureza (IFCN) na preservação da espécie nos mares da Madeira, isto quando em 1998 haviam apenas oito lobos-marinhos.

“Sabia-se que as focas-monge tinham regressado recentemente à Madeira, após décadas de isolamento nas Desertas. Contudo, através do sistema GPS, foi possível constatar que estes animais batem recordes de maratonas aquáticas. No espaço de apenas um mês, são capazes de realizar dezenas de viagens entre as ilhas. A cereja no topo do bolo deste projecto foi a revelação de comportamentos de mergulho que se encontravam guardados como segredos de deuses. Até aqui, acreditava-se que não passariam de 120 metros de profundidade. Agora, sabe-se que nadam com regularidade pelos fundos, a 200 e a 300 metros, atingindo a incrível profundidade máxima de 394 metros, o maior registo apurado para esta espécie”, escreve a conceituada revista num artigo que pode ler clicando aqui.