Três eurodeputados fizeram balanço de 30 anos de integração europeia

Liliana Rodrigues, Marisa Matias e Marinho Pinto participaram em conferência do Europe Direct Madeira

06 Jan 2017 / 15:54 H.

“A Madeira e as três décadas de Integração de Portugal na União Europeia” foi o tema genérico de um debate que decorreu durante a manhã de hoje no auditório do Museu da Electricidade. O evento, promovido pelo Europe Direct Madeira, contou com a participação de três eurodeputados portugueses. Além da madeirense Liliana Rodrigues, participaram também Marisa Matias e Marinho Pinto. Cláudia Monteiro de Aguiar, também eurodeputada madeirense, faltou ao debate alegando razões de saúde.

Durante cerca de duas horas os eurodeputados abordaram várias questões relacionadas com o percurso de Portugal na União Europeia. As questões fiscais, a política de coesão, o equilíbrio entre pobres e ricos, os fundos europeus e a aplicação que se fez, particularmente na Madeira, foram temas que mereceram diferentes interpretações.

Também o secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus apresentou a sua perspectiva sobre o tema. Sérgio Marques presidiu à sessão de abertura onde apresentou “um balanço tremendamente positivo” destes 30 anos, relacionando-os com os 40 anos de Autonomia no que classificou como “uma conjugação feliz” que está na base do sucesso da Madeira. Sérgio Marques diz que foram a autonomia e a integração europeia que permitiram “a verdadeira revolução tranquila que foi feita na Madeira”.

O secretário recordou também os fundos europeus aplicados na Região, disse que há espaço para aprofundar o conceito de região ultraperiférica e revelou que este ano vai ter lugar, em Bruxelas, um encontro com representantes das regiões e elementos da Comissão Europeia. Espera o governante madeirense que surja daí um novo modelo de relacionamento.

A iniciativa de hoje foi apresentada por Marco Teles, do Europe Direct Madeira, como um evento para recordar as substanciais alterações que foram verificadas ao longo destes 30 anos de integração europeia.

Entre a sessão de abertura e o debate, houve um momento de animação com um grupo da Casa do Povo de Câmara de Lobos a entrar na sala para cantar os reis com uma letra adaptada às questões europeias.

Já na recta final do debate, uma participante decidiu intervir e apresentar uma questão. Elsa Freitas, portadora de deficiência, aproximou-se da mesa em cadeira de rodas e insistiu até deixar a questão: “O que é que se falou aqui de inclusão para as pessoas com deficiências?”. A jovem, de 27 anos, pediu respostas sobretudo em relação às políticas de emprego para deficientes. Com o debate mesmo no fim, as respostas dos três eurodeputados foram transmitidos já no átrio e na rua.

Outras Notícias