Site da Diocese do Funchal promove petição sobre eutanásia

17 Fev 2020 / 12:23 H.

A Diocese do Funchal está a promover a petição pública contra a aprovação da eutanásia, no seu site. A iniciativa popular de referendo, alojada no portal da Federação Portuguesa pela Vida, conta com a assinatura, às 12h15 desta segunda-feira, de quase 15 mil pessoas.

Amanhã realiza-se a Vigília Ecuménica pela Vida, na Igreja do Colégio, pelas 19h.


O tema vai estar em debate na Assembleia da República, na próxima quinta-feira, 20 de Fevereiro. Em discussão quatro iniciativas: do PS, BE, PEV e PAN.
A Igreja Católica está a mobilizar os seus crentes, no sentido de pressionar a poder político a se decidir pelo referendo. Na Madeira, a Diocese distribuiu panfletos nas igrejas, expondo os argumentos contra a despenalização da morte assistida. D. Nuno Brás, em declarações ao DIÁRIO, a 15 de Fevereiro, considerou que a eutanásia “elimina o doente, não o sofrimento”. O prelado disse também que “é mais fácil e mais barato matar o doente do que proporcionar-lhe os meios paliativos para viver a vida até ao final”.


Perante um tema fracturante, que divide a sociedade portuguesa, por cá também não há unanimidade no interior da Igreja. Numa mensagem colocada no Facebook o pároco de S. Roque e de São José, José Luís Rodrigues, afirmou que “o clericalismo português anda em pulgas por causa da eutanásia. O desentendimento é atroz. A confusão é confrangedora. A produção de falsidades brada aos céus.”