Sindicato Independente de Professores da Madeira organiza plenários para debater proposta da SRE

14 Jun 2018 / 12:49 H.

A delegação do SIPE – Sindicato Independente de Professores e Educadores da Madeira convocou vários plenários sindicais para a semana de 18 a 22 de Julho, de forma a discutir a proposta do Governo Regional da Madeira para recuperação do tempo de serviço congelado de nove anos, quatro meses e dois dias. Os plenários pretendem igualmente esclarecer questões relacionadas com a avaliação dos docentes, e dar conta dos desenvolvimentos das negociações levadas a cabo entre o Sindicato e a Secretaria Regional de Educação.

O primeiro plenário está marcado para as 18h30 de segunda-feira, dia 18 de Junho, na sala de sessões da Escola Básica e Secundária Gonçalves Zarco, no Funchal. Segue-se o plenário de terça-feira, dia 19 de Junho, na Escola Básica dos 2.º e 3.º ciclos do Estreito de Câmara de Lobos, às 16h00, na sala de sessões, e, por fim, o plenário na Escola Básica e Secundária da Ponta do Sol, às 13h00 de quarta-feira, dia 20 de Junho, na sala 312.

Além das negociações sobre a recuperação do tempo de serviço congelado, será abordado o despacho para fixar o número de vagas para a progressão aos 5.º e 7.º escalões, para o ano 2018, dos docentes a quem tenha sido atribuída a menção qualitativa de Bom na respectiva avaliação de desempenho, além dos concursos para docência na Região Autónoma da Madeira.

De acordo com Paulo Santos, coordenador do SIPE Madeira, “as negociações têm obedecido ao calendário negociado, e a proposta de recuperação do tempo congelado é bastante razoável, sobretudo tendo em conta o todo nacional”. Na sessões plenárias a realizar durante a próxima semana “caberá aos nossos associados analisar a proposta, aprová-la ou sugerir possíveis alterações para que a possamos melhora”, explica o coordenador regional.

O SIPE é um sindicato, apartidário e totalmente independente, que congrega educadores e professores de todos os níveis e graus de ensino, tendo em vista um objectivo comum de unir a classe docente e devolver-lhe a dignidade e projecção a que tem direito. O SIPE disponibiliza uma mesa negocial para a defesa, incondicional, dos interesses socioprofissionais dos docentes e a manutenção dos seus direitos adquiridos, atendimento personalizado, quer nas suas instalações quer nas escolas onde se deslocam, atendimento ‘online’, apoio jurídico, e centro de formação – o maior actualmente a garantir formação contínua aos professores em Portugal.