Sector agroalimentar pesava 6,8%, em 2016, na Região

15 Jul 2019 / 17:10 H.

Em 2016, o sector agroalimentar da Região contribuiu para o Valor Acrescentado Bruto (VAB) com 263,6 milhões de euros, o que se traduziu num peso de 6,8% no VAB total, mostram as estimativas de um novo estudo realizado pela Direcção Regional de Estatística da Madeira (DREM), apresentado esta segunda-feira no II Colóquio de Estatística Regional, que decorre no Centro de Estudos de História do Atlântico – Professor Alberto Vieira.

A partir desta avaliação, a DREM concluiu também que o ramo do ‘Comércio e das actividades de embalagem’ concentrou metade do VAB do sector agroalimentar, gerando 131,3 milhões de euros.

Em termos de produção e consumo intermédio, os pesos são de 8,2% e 10,3%, respectivamente.

É a primeira vez, aliás, que a Direcção Regional de Estatística da Madeira (DREM) apresenta um estudo sobre o sector agroalimentar da RAM, uma avaliação que teve por base um projecto similar desenvolvido pelo Instituto Canário de Estatística (ISTAC).

O objectivo é estimar o peso do sector agroalimentar na produção, consumo intermédio e valor acrescentado bruto (VAB), bem como em variáveis do Emprego, como postos de trabalho, postos de trabalho remunerados e remunerações.

Para esta análise, a DREM identificou, numa primeira fase, os três principais sectores de actividade económica do sistema agroalimentar: agrícola, indústria agroalimentar e distribuição alimentar.

Depois, para avaliar, pediu informação detalhada ao Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre as Contas Regionais, e recorreu a dados recolhidos pela própria DREM através de inquéritos no ramo do comércio, e ainda a informação dos Relatórios e Contas de algumas empresas. Sempre que necessário foram solicitados elementos adicionais a unidades empresariais.

O II Colóquio de Estatística Regional decorre até ao final da tarde desta segunda-feira, e contou com as intervenções de Paulo Baptista Vieira, Director da DREM, Carlos Coimbra, vogal do Conselho Directivo do INE e professor universitário no ISCTE; António Rua, economista no Banco de Portugal e professor da Nova SBE; Augusto Elavai, Director Regional do Serviço Regional de Estatística dos Açores; Domingo Lorenzo Díaz, responsável do Instituto Canário de Estatística; e João Miguel Leal, perito nacional destacado do Ministério das Finanças na Direcção-Geral dos Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia.

Leia mais na edição impressa do DIÁRIO desta terça-feira. O estudo pode ser consultado, a partir das 21 horas desta segunda-feira, no site da DREM.

Outras Notícias