Salário mínimo regional passa para 592 euros a partir de 1 de Janeiro

29 Dez 2017 / 17:17 H.

A Comissão Permanente de Concertação Social da Madeira tomou posse hoje e já aprovou a primeira decisão que entrará em vigor a 1 de Janeiro. Os parceiros sociais acordaram, com o Governo Regional, que o salário mínimo a vigorar na Região, no próximo ano, será de 592 euros. Mais 22 euros em relação ao valro de 2017 e um aumento de 2%, em relação ao salário mínimo nacional para 2018, ficado em 580 euros.

A comissão permanente, que tomou posse na Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, é composta por represnetantes de três associações empresariais, três associações sindicais, o governo regional e o presidente do Conselho Económico e de Concertação Social, que participa mas não tem direito a voto.

“É com muita satisfação que informo que novo valor de salário mínimo regional foi fixado, com o acordo da ACIF, da ASSICOM, da USI e da UGT. A USAM concorda com o aumento mas não subscreve o valor fixado”, informou Rita Andrade, no final da reunião.

A secretária regional destaca os compromissos já assumidos, na comissão para que no próximo ano seja feito um estudo profundo sobre as diferenças salariais entre a Madeira, o continente e os Açores. “Para que possamos tomar decisões com outra base e outra fundamentação”, justifica.

Nos Açores, o salário mínimo tem um acréscimo de 5% em relação ao valor nacional e deverá ser fixado em 609 euros.

Outras Notícias