Rubina Leal e Nivalda Gonçalves entre as várias novidades no parlamento regional

03 Out 2017 / 16:33 H.

A Assembleia Legislativa da Madeira volta a reunir-se, em sessão plenária, na próxima terça-feira, com um quadro de deputados diferente daquele que terminou a última sessão legislativa. As principais novidades são na bancada do PSD que vai passar a contar com Rubina Leal e Nivalda Gonçalves, candidatas às últimas eleições autárquicas, mas que não conseguiram ganhar as câmaras do Funchal e da Ribeira Brava, respectivamente.

Estas entradas implicam saídas de deputados da bancada ‘laranja’. Pelo Estatuto Político-Administrativo, que determina que quando um deputado eleito regressa sai aquele que o substituiu e não o último suplente a ter entrado, Gualberto Fernandes (26ª da lista do PSD) que substituiu Rubina Leal e Cláudia Gomes (35º), substituta de Nivalda Gonçalves, são os deputados que terão de deixar o parlamento. No entanto, admite-se que o grupo parlamentar possa fazer ajustamentos para respeitar a ordem da lista.

Vânia Jesus já saiu para a Investimento Habitacionais da Madeira e será substituída por Luís Calaça.

No PCP, sai Edgar Silva e regressa Ricardo Lume, passando Sílvia Vascocnelos a ser líder parlamentar.

O grupo parlamentar do CDS regista o regresso de Lino Abreu e a saída de Roberto Rodrigues, além de ter de eleger um novo líder parlamentar, uma vez que Rui Barreto não se recandidata ao cargo, devido a ter assumido o lugar de vereador na Câmara do Funchal.

Esta tarde esteve reunida a conferência de representantes dos partidos que marcou sessões plenárias para os dias 10, 11, 12, 17 e 18. O debate mensal com o presidente do governo regional será no dia 31 de Outubro.

A comissão eventual para a Análise das Implicações Materiais do Princípio da Continuidade Territorial, proposta pelo PCP, será instalada na próxima semana, tendo cinco deputados do PSD, um do PS, um do PCP, um do JPP e outro do CDS. O PSD terá a presidência e o PCP a vice-presidência.