PSD diz que ausência de Cafôfo na Assembleia Municipal é motivo para “suspender a reunião”

29 Jun 2018 / 13:00 H.

O Grupo Municipal do PSD considerou, esta manhã, que não existem condições legais para que a Reunião de Assembleia Municipal do Funchal se realize sem a presença do presidente da Autarquia.

“O presidente da Câmara Municipal do Funchal tem de estar obrigatoriamente nas Reuniões de Assembleia Municipal, por ele próprio marcadas. Uma viagem alegadamente ao estrangeiro não é motivo para justificar a não comparência naquela que é a Assembleia Municipal da Cidade”, disse o deputado João Paulo Marques.

Garantindo que o PSD “não pactua com este tipo de situações”, até porque hoje a ordem de trabalho é extensa, com pontos “muito importantes” para a cidade, João Paulo Marques solicitou ao presidente da Mesa da Assembleia, um intervalo regimental, no sentido reunir a Conferência de Líderes.

A suspensão da reunião mereceu 21 votos contra da Coligação, do CDS e da CDU e 18 a favor do PSD e do PTP. Os trabalhos da sessão da Reunião da Assembleia Municipal foram retomados, com João Paulo Marques a lamentar a falta de responsabilidade que alguns dos partidos da oposição demonstraram ao não acompanhar o sentido de voto do PSD para a suspensão desta Assembleia.

“O regimento é claro. É obrigatória a presença do presidente da Autarquia nesta Assembleia. Trata-se de um comportamento indigno para quem governa a Cidade e já demonstrou ter uma agenda própria que não inclui os funchalenses”, disse o social democrata.

Outras Notícias