PS-M determinado em encontrar soluções para a questão da terceira idade

11 Set 2018 / 18:57 H.

O Partido Socialista-Madeira visitou, hoje, a Residência Assistida Dilectus e o Lar da Bela Vista, no Funchal. Iniciativas que contaram com a presença do candidato do partido às Eleições Regionais de 2019, Paulo Cafôfo, e que se inseriram no âmbito do projecto ‘A Madeira que queremos’, ao abrigo do qual estão a ser efectuadas visitas a estabelecimentos e instituições de carácter social, cultural e também do domínio empresarial, visando conhecer os bons exemplos nestas áreas e preparar o programa de Governo para o próximo ano.

O dia de hoje foi dedicado à área social, mais concretamente no que concerne ao apoio aos idosos, uma área que tem trazido vários desafios, dado o aumento da esperança média de vida, tendo a deputada Sofia Canha sublinhado que o PS-M, consciente desta realidade, “quer apresentar propostas que, de facto, dignifiquem os idosos e as famílias que têm esta questão a braços”.

A coordenadora do Programa do PS para a área do Desenvolvimento Social lembrou que a Madeira tem mais de 40 mil cidadãos com mais de 65 anos, constatando que “são mais pessoas idosas do que pessoas jovens com menos de 16 [anos]”. Tal como referiu, esta situação constitui “um desafio concreto, sobretudo quando associamos a questões na área da saúde, que, normalmente, está a par com o envelhecimento”.

Sofia Canha deu também conta que em 2015 existiam quase 700 pessoas em lista de espera para lares na RAM e que, passados dois anos, em Dezembro de 2017, esse número aumentou. “São cerca de 955 pessoas nesta situação, com necessidades de assistência em lares e em residências assistidas”, afirmou, acrescentando que há 34 equipamentos na Região e que são apoiadas quase 1.400 pessoas com estas necessidades.

Segundo a socialista, “nos últimos três anos não foram lançados novos projectos nem se conhece qualquer intenção do Governo, para já, de avançar com projectos públicos, para dar este apoio, que é um problema que a RAM tem”.

Assim, salientou que “o Partido Socialista está determinado em arranjar soluções para estes desafios, para esta necessidade que é real para as pessoas da Região com este problema de idade avançada, associado a outras incapacidades, e também para as suas famílias, que querem de facto esta resposta”.