Professora acusa escola pública de a castigar por ter recusado “receber” o bispo

Aconteceu em junho, na Madeira: crianças de escola pública foram levadas à igreja para “receber” o bispo. Professora não aceitou participar por “ser contra misturar escola com religião”. A recusa surge na sua classificação como fator negativo. Se é assinante leia a notícia no DN

24 Out 2019 / 11:30 H.

“Foi no final de junho, já só o pré-escolar estava a funcionar. O padre da paróquia resolveu convidar a diretora para ir com os meninos receber o bispo à igreja. E, numa reunião, a diretora disse: ‘As crianças da pré vão no dia 26 de junho de manhã receber o senhor bispo’.”

A escola em causa é pública: trata-se da Escola EB1 PE de Ponta Delgada e Boaventura, jardim-de-infância e 1.º ciclo no concelho de São Vicente, Madeira, e quem narra é Isabel Teixeira, há 30 anos na Madeira como educadora no pré-escolar e há 16 nesta escola. A qual, perante o anúncio da diretora, manifestou a sua oposição: “Não concordo que se misture a escola com religião. Estou a trabalhar nessa manhã, e não vou.” Outra docente teve a mesma posição...

Esta notícia ‘premium’ é publicada na edição de hoje do DN à qual pode aceder através deste link.