Presidente da ANA diz que é preciso baixar taxas no aeroporto da Madeira

Deputado do PS-Madeira, Luís Vilhena confrontou o presidente da ANA

14 Mar 2017 / 18:49 H.

O deputado do PS Luís Vilhena demonstrou a sua preocupação relativamente aos elevados preços dos bilhetes de avião para a Região Autónoma da Madeira, durante a audição, a pedido do Partido Socialista, do presidente do Conselho de Administração da ANA – Aeroportos de Portugal na Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas. O requerimento do PS foi feito após a entrevista do Dr. Jorge Ponce de Leão ao Jornal de Negócios, em que falou numa “cartelização” na oferta de voos para a Madeira.

O presidente do Conselho de Administração da ANA acabou por reconhecer que a expressão utilizada foi “inapropriada”. No entanto, Ponce de Leão admitiu que, apesar de não haver uma “cartelização”, o resultado final é o mesmo.

O deputado socialista eleito pelo círculo da Madeira sublinhou a importância das ligações aéreas entre o continente e as regiões insulares para todos os cidadãos que aí vivem e também para o turismo. Sendo a Madeira um importante destino turístico, estas ligações têm uma importância fundamental para o fator da competitividade relativamente a outros destinos.

Luís Vilhena lembrou que o atual sistema em vigor na Madeira foi acordado entre o Governo Regional e o antigo Governo de Pedro Passos Coelho. “Apesar de estar montado há um ano e meio, notaram-se desde cedo muitos problemas não só por entidades, mas também por cidadãos”, acusou.

O parlamentar socialista criticou as elevadas taxas aeroportuárias na Madeira, o que levou o presidente do Conselho de Administração da ANA a concordar com Luís Vilhena, revelando que as taxas descerão quando houver condições para o fazer. Ponce de Leão explicou que o que interessava era aproximar as taxas do que os mercados estão disponíveis a aceitar, ou seja, as taxas da Madeira teriam de descer, as dos Açores seriam para manter e as de Lisboa subiriam.

Em resposta ao deputado do PS, o responsável pela ANA revelou, ainda, que a operadora dos aeroportos está a estudar um novo sistema de incentivos às companhias aéreas que queiram basear os seus aviões em todos os aeroportos da rede ANA, com a exceção de Lisboa. Este novo modelo está em fase de consulta pública e deverá entrar em vigor no início de 2018.

Tópicos

Outras Notícias