Paulo Neves exige “linhas vermelhas” quanto à questão da Venezuela

12 Fev 2019 / 21:02 H.

O deputado Paulo Neves, eleito pelo PSD-Madeira, abriu esta tarde a audição ao ministro dos Negócios Estrangeiros, na Assembleia da República, sobre a questão da Venezuela.

Paulo Neves falou em “linhas vermelhas” que o governo português não pode deixar que o regime de Nicolás Maduro passe. Deu os exemplos de portugueses detidos por se manifestarem contra o actual regime venezuelano, dos ataques cirúrgicos contra pessoas e bens portugueses, como represália pela posição do governo português, e o impedimento que a ajuda chegue à Comunidade portuguesa. “Nestes casos o governo português tem que ser determinado e implacável”, afirmou Paulo Neves.

O deputado do PSD deu também vários exemplos de situações que preocupam os nossos emigrantes na Venezuela ou os que regressaram a Portugal. “Autorização de residência, equivalências académicas, arrendamento social, custos das viagens entre a Venezuela e Portugal, processos de nacionalidade, pensões de reforma” foram alguns dos problemas transmitidos ao ministro dos Negócios Estrangeiros.

Paulo Neves insistiu para que o governo português seja “um pivot activo no encontro de soluções políticas, de auxílio humanitário e de construção económica da Venezuela” e aproveitou para dar o “bom exemplo da Madeira no acolhimento e inserção daqueles que regressam da Venezuela”.