Partido RIR pede “regras iguais” para quem vive em habitação social na Madeira

Em causa está a isenção do pagamento de renda nas habitações sociais, da IHM

25 Mar 2020 / 23:03 H.

Em comunicado enviado à redacção, o partido RIR-Madeira abordou a questão da isenção de rendas durante três meses, medida que esta força partidária concorda “em pleno”, contudo entende que esta “deve também chegar aos inquilinos da Sociohabita-Funchal, empresa tutelada pela Câmara Municipal do Funchal”.

“A Câmara Municipal pretende cobrar a renda como se nada passasse nesta cidade, pois o dinheiro fala mais alto e há que assegurar o salário milionário de meia dúzia de funcionários, falamos apenas daqueles que são os privilegiados, pois a maioria ganha salários de miséria, infelizmente os que mais trabalham! Lembramos a Câmara Municipal do Funchal, que quem vive nas casas da Câmara, têm os mesmos problemas e as mesmas dificuldades que os inquilinos do Governo”, atira o coordenador Roberto Vieira.

Numa altura “difícil para os funchalenses”, o partido diz não compreender que “esta Câmara socialista esteja insensível ao momento difícil” pelo qual passamos e “como se não bastasse esta discriminação, a Câmara Municipal pretende ainda levar avante a taxa turística, que uma vez mais vem prejudicar todos aqueles que trabalham na hotelaria, ficando com o seu posto de trabalho em risco”.

“O partido RIR considera mesmo que a Câmara Municipal está cega, pensando apenas em encher os cofres, sem olhar a meios, pois as eleições estão próximas e há que assegurar orçamento para usar na altura da campanha eleitoral, mas a população não é tola nem cega e já vão interiorizando a ideia de que foram enganado nas últimas eleições”, pode ler-se na nota.