NÓS, Cidadãos! questiona Governo Regional sobre reabertura da ER 222, na Ribeira Brava

11 Fev 2019 / 11:26 H.

O NÓS, Cidadãos! questiona o Governo Regional sobre a reabertura da ER 222, na Ribeira Brava.

Através de um comunicado de imprensa, diz que Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, “quando se deslocou para uma visita às obras da Estação de Tratamento de Águas da Ribeira Brava, um investimento de 1,83 milhões de euros, sabia que passaria bem próximo da Estrada Regional 101, interdita ao trânsito desde finais de julho de 2018, e da Estrada Regional 222 que quase ruiu após o desmoronamento de um talude – junto da escarpa Poente da vila – aquando da realização de escavações para a construção de um novo empreendimento privado cujo promotor, infelizmente, entretanto faleceu”.

“Se é verdade que as diversas ‘adversidades’ criadas para concretizar empreendimento/prédio em causa se arrastaram largos anos – com avanços e recuos em vários momentos (e esta é obra devidamente licenciada pela autarquia e contratualizada com uma conhecida empresa de construção) – agora, os cidadãos da Ribeira Brava, mas também todos os turistas que afluem àquela conhecida e muito apreciada vila da Região, e mais de meio ano após a derrocada, continuam a ser bloqueados/travados, com a interdição parcial da Estrada Regional 101 e da Estrada Regional 222”, refere.

Perante a continuação desta situação, o partido NÓS, Cidadãos! pergunta ao Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, para quando, “a realização e conclusão dos trabalhos necessários à consolidação da supracitada escarpa e a reabertura, “em segurança e o mais rápido possível”, de parte da estrada regional (ER) 101 e da ER 222 interditas, conforme sugerido no estudo do LREC (e noticiado no dia 14 de Agosto de 2018), e que, segundo o próprio Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, seria reaberta em Novembro de 2018”.

“Senhor Presidente, Miguel Albuquerque, NÓS, Cidadãos! recordamos palavras que lhe são ‘famosas’: há uma diferença entre “quem cumpre e quem não cumpre os compromissos assumidos”, entre quem diz uma coisa e faz outra, entre quem concretiza aquilo que promete aos cidadãos e quem não concretiza! Está ainda, vossa excelência, em condições de efectivar e cumprir o prometido?”, concluiu.

Outras Notícias