Miguel Albuquerque afirma que a emancipação nacional passou sempre pelo Atlântico

16 Nov 2018 / 20:14 H.

Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, disse hoje, na sessão de abertura do 5.º Curso de Defesa Nacional, que a emancipação nacional passou sempre pelo Atlântico. “Portugal vira-se para o mar, porque estava bloqueado, e através da chamada política atlântica consegue, de facto, se afirmar com uma grande potência atlântica”, referiu, frisando que, mais do que nunca, é tempo de Portugal tirar partido deste grande recurso, até porque o documento da Estratégia Nacional para o Mar “está muito bem feito”.

Além disso, o governante afirmou que o país tem de aproveitar o ‘Brexit’ para se afirmar como potência atlântica, tendo realçado que é preciso salvaguardar o interesse nacional no âmbito da União Europeia (UE). O presidente do Governo Regional disse ainda que, ao contrário do que alguns afirmam, “o mar não está fora de moda”, até porque 90% do comércio mundial é feito via marítima e 60% da frota europeia passa pela costa portuguesa. “O Trump continua a dizer que o Atlântico passou de moda e o futuro vai ser o Pacífico. Eu tenho grandes dúvidas sobre isso apesar das barbaridades que, muitas vezes, são ditas quer pelo presidente dos Estados Unidos, quer noutras paragens”, referiu.

Ana Santos Pinto, secretária de Estado da Defesa Nacional, disse que a governabilidade das questões migratórias é mais desafiante do que o ‘Brexit’. Além disso, afirmou que Portugal nunca rejeitou a solidariedade europeia e foi um dos únicos países não rejeitou o salvamento de pessoas no Mediterrâneo. “Isto é um valor, é português, é da nossa identidade e uma herança das nossas Forças Armadas”, frisou.

Refira-se que o curso será distribuído por três módulos, sendo que o primeiro decorre até ao próximo dia 21 Novembro, o segundo de 13 a 15 de Fevereiro e o terceiro de 8 a 12 de Abril.

Outras Notícias