Marta Freitas explica abstenção na votação da eutanásia

21 Fev 2020 / 08:45 H.

A deputada socialista eleita pela Madeira explicou no Facebook as razões que ditaram a sua abstenção em todos os projectos em apreciação sobre a morte medicamente assistida.

“Neste momento tenho entendimentos contraditórios em relação a esta matéria da “eutanásia” , “morte medicamente assistida”, “antecipação do fim da vida, por decisão própria”. Certamente também dadas as minhas vivências profissionais e pessoais.

O tema eutanásia é para mim um tema de natureza complexa. Apesar de constatar que os projetos de lei propostos estão muito bem estruturados, considero que necessito de uma reflexão mais profunda nas várias dimensões que esta matéria abrange, bem como sinto a necessidade de aferir com mais tempo a visão dos cidadãos sobre esta matéria.

Por isto, neste momento não foi para mim possível tomar uma decisão inequívoca, de forma a votar em plena consciência a favor ou contra a eutanásia.

Aguardarei maior esclarecimento em sede de especialidade.”

Tópicos