Margarida Pocinho vai avaliar os melhores “cérebros” europeus

17 Out 2018 / 12:01 H.

A professora Margarida Pocinho, da Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Madeira (FAH-UMa), foi convidada a integrar o painel internacional de especialistas independentes, no âmbito do Pilar Excelência Científica do H2020, nas Ações Marie Sklodowska- Curie (MSCA), no sentido de colaborar nas decisões cientificas de apoio à investigação através de bolsas individuais (Individual Fellowships (IF)).

A selecção para integrar estes painéis é altamente exigente e requer um currículo relevante na área científica. Os especialistas que compõem estes painéis têm também um alto nível de competências, experiência e conhecimento na gestão de projectos, inovação, divulgação e comunicação.

Entre outros aspectos, os membros deste painel internacional serão responsáveis pela avaliação de propostas, monitorização de projectos, avaliação de programas, implementação de políticas e avaliação dos melhores “cérebros” europeus e do resto do mundo, contribuindo, desta forma, para o avanço do conhecimento científico internacional.

Margarida Pocinho é professora Auxiliar com Agregação em Psicologia da FAH-UMa. É Doutorada e Mestre em Psicologia da Educação e Licenciada em Psicologia de Orientação Escolar. É investigadora do Instituto de Psicologia Cognitiva da Universidade de Coimbra e Membro do Painel FCT de Psicologia. Publicou mais de uma dezena de livros e inúmeros artigos nas áreas da Psicologia e da Educação. Atualmente, está a devolver investigação na área da Psicologia do Turismo, no âmbito de um projecto financiado pela ARDITI, em parceria com o Research Centre for Tourism, Sustainability and Well-being (CinTurs), da Universidade do Algarve.

Recorde-se que as acções Marie Sklodowska-Curie inserem-se no âmbito de um programa promovido pela Comissão Europeia, com o objectivo de apoiar a formação, investigação e mobilidade, tanto a nível transnacional como intersectorial, de investigadores altamente qualificados, na Europa e no resto do mundo. Estas acções visam também incentivar formação, criativa e inovadora, identificar talentos excelentes em investigação e inovação na competição internacional, e certificar os melhores investigadores na Europa e no mundo e o trabalho conjunto entre países, sectores e disciplinas. Visam ainda, contribuir para a estruturação de um espaço europeu da investigação propício à criatividade.

Tópicos

Outras Notícias