Manter a Assembleia Regional vigiada custa 11.600 euros por mês

24 Fev 2020 / 12:00 H.

A Assembleia Legislativa da Madeira realizou um contrato com a Securitas para “a prestação de serviços combinados de vigilância e segurança humana e de ligação a central de recepção e monitorização de alarmes” para as suas diversas instalações.

O contrato é realizado por um ano prorrogável por idêntico período.

No total, para os dois anos de duração, o parlamento estima gastar 278,5 mil euros. São, já com o valor do IVA incluído, 11.590 euros mensais.

Tópicos