Mais 46,7% nos negócios dos Serviços e mais trabalhadores em 2017

Volume de negócios e pessoal ao serviço nas Actividades de serviços prestados às empresas cresceram face a 2016

13 Dez 2018 / 12:25 H.

A Direcção Regional de Estatística da Madeira (DREM) divulgou esta manhã os dados preliminares de 2017 do Inquérito aos Serviços Prestados às Empresas (SPE), que se incluem no sector com maior representatividade no tecido empresarial na Região, tanto em número de empresas como em número de trabalhadores.

Assim, uma vez que os SPE são compostos por estas oito actividades (“Informáticas”, “Jurídicas”, “Contabilidade, auditoria e consultoria”, “Arquitectura e engenharia”, “Ensaios e análises técnicas”, “Publicidade”, “Estudos de mercado e sondagens de opinião” e “Actividades de emprego”), denota-se um aumento do volume de negócios e de pessoas ao serviço.

“Em 2017, o volume de negócios das empresas com sede na Região Autónoma da Madeira (RAM) que desenvolvem actividades relacionadas com ‘Serviços Prestados às Empresas’ fixou-se em 218,1 milhões de euros, mais 69,4 milhões que no ano anterior (+46,7%)”, especifica a DREM. Aliás, lembra, “o volume de negócios das empresas que exercem a referida actividade está em crescimento desde 2014, atingindo-se em 2017 o valor mais elevado da série disponível (que tem início em 2008)”.

É assim que o “montante oriundo das actividades de ‘Arquitectura, engenharia e técnicas afins’ rondou os 34,6 milhões de euros, tendo crescido 126,8% face a 2016. Por sua vez, as actividades jurídicas geraram 12 milhões de euros, valor ligeiramente superior ao de 2016 (+1,3%)”, exemplifica.

No ano em referência, reforça a DREM, “as actividades de SPE empregavam na RAM 4.616 pessoas, mais 816 que em 2016 (+21,5%)”, aponta. “Tal como sucede para o VVN (volume de negócios), este valor do número de pessoas ao serviço naquelas actividades constitui um máximo histórico, sendo que aquela variável está em crescimento desde 2015. As actividades de ‘Arquitetura, engenharia e técnicas afins’ contribuíram para o incremento verificado em 2017, com o pessoal ao serviço em empresas com as referidas actividades a registar um aumento de 10,6%”, explica ainda.

Menos mulheres, melhores salários

Outra nota de realce é que “a proporção de emprego feminino diminuiu 4,1 p.p. entre 2016 e 2017, para os 36%, o valor mais baixo da série”, garante. “De referir ainda que o volume de negócios por pessoa empregada nestas empresas aumentou de 39,1 milhares de euros em 2016 para 47,2 milhares de euros em 2017 (+20,7%), sendo que a evolução dos gastos com o pessoal por pessoa empregada evidenciou tendência idêntica, crescendo de 13,7 mil euros em 2016 para 16,8 mil euros em 2017 (+22,6%). Nestas variáveis, atingiram-se também os valores mais altos da série disponível”, conclui.

Outras Notícias