Madeirense inicia hoje volta ao Mundo num veleiro e regressa em 2022

Vai haver brinde com Vinho Madeira antes da partida de Henrique Afonso

15 Jan 2019 / 13:00 H.

Henrique Afonso, velejador solitário que se propõe a percorrer o Mundo desbravando mais de 29 mil milhas náuticas durante três anos, zarpa esta terça-feira, pelas 18 horas, rumo à epopeia que tem planeada há muitos meses. O madeirense, conhecido por muita gente como o ‘Pirata’, parte desde o Cais 8 do Porto do Funchal, onde já está ‘estacionado’ o seu veleiro ‘Sofia do Mar’, sendo que a primeira paragem será nas ilhas Canárias, onde espera fazer uma escala de, sensivelmente, duas semanas.

Como já foi noticiado pelo DIÁRIO, Henrique Afonso levará consigo 200 litros de Vinho Madeira da Barbeito, para recriar o ‘Vinho da Roda’. A bordo tem duas pipas com capacidade para 100 litros cada, onde carregará consigo o vinho generoso de casta malvasia. Já a Empresa de Cervejas da Madeira também não quis perder a oportunidade de se juntar à ‘festa’ e entregou a Henrique Afonso algumas cervejas Coral, como forma de assinalar os 50 anos de vida da marca. No fundo, este madeirense levará consigo neste périplo muitos dos nossos produtos, divulgando por esse Mundo fora a nossa Região.

Apesar de alguns entraves, depois da Alfândega ter apreendido a sua embarcação, essas questões burocráticas foram ultrapassadas. Agora, a ideia deste madeirense, natural do Funchal, mas a residir há muitos anos no Jardim do Mar, mantém-se de acordo com o plano inicial: regressar no Verão de 2022, em plena Festa da Lapa, no Paul do Mar.

Brinde às 17 horas no Cais 8 do Funchal

Como forma de assinalar no calendário o dia 15 de Janeiro de 2019, o Instituto do Vinho, Bordado e Artesanato da Madeira (IVBAM) irá oferecer no Cais 8 do Porto do Funchal, às 17 horas, um brinde com Vinho Madeira àqueles que queiram assistir à partida de Henrique Afonso.

As frases marcantes de Henrique Afonso

A 23 de Dezembro de 2018 foi publicado no DIÁRIO impresso um trabalho junto de Henrique Afonso, onde o velejador aborda as motivações para fazer esta viagem, numa conversa que também ‘serviu’ para ficar a conhecer a sua filosofia de vida. Fique com algumas das frases marcantes.

“Desintoxicação da sociedade é o que eu chamo a estas minhas viagens. Não quero responsabilidades com a sociedade, quero apenas viver. O meu pensamento não é ter dinheiro, nem ser um mega-empresário”;

“De dia para dia ando pela cidade e gosto menos da sociedade. Onde nós vivemos temos de nos pentear, comprar roupa... eu só preciso de uma t-shirt, uns calções e umas chinelas... e quando estou de viagem ando nu. O consumismo é mínimo durante a minha viagem”;

“Não preciso de grandes músculos para estar aqui. Vou devagar e nunca penso em ir mais além do que posso. A natureza tem os seus riscos e os seus prazeres, todas essas coisas bonitas da vida, então temos de aprender. Se eu chegar amanhã, fantástico, mas se chegar depois de amanhã, fantástico na mesma. A única responsabilidade que tenho é comigo próprio, então as coisas tornam-se muito mais fáceis”;

“Quero que esta história seja alegre para fazer com que as pessoas que me vão seguir também fiquem com um sorriso no rosto. Não vou ganhar nenhum troféu, não vou receber milhões, mas vou continuar a ser eu mesmo e com uma vontade enorme de voltar e partir outra vez, porque as pessoas merecem isso”;