Listas de espera para cirurgias alimentam polémica entre PS e PSD

Socialistas reiteram críticas ao Governo Regional relativamente ao investimento na área da Saúde

08 Ago 2018 / 16:06 H.

Em comunicado hoje dirigido aos órgãos de comunicação social, o Grupo Parlamentar do PS-Madeira reagiu às declarações do secretário geral do PSD, Rui Abreu, que acusou os socialistas regionais de fazerem política com saúde dos madeirenses.

Na origem da polémica estão as declarações proferidas pela deputada Sofia Canha, que sugeriu ontem ao executivo regional que aumentasse o reforço da verba para a saúde, no sentido de minimizar as listas de espera de cirurgias.

Perante estes cenário, o Grupo Parlamentar do PS-Madeira vem hoje reiterar às críticas ao Governo Regional em matéria de saúde.

“O Governo PSD não fez da saúde dos madeirenses uma prioridade, antes pelo contrário, quando existe uma sistemática renovação negativa, com demissões em catadupa em diversos serviços e quando, em três anos, tivemos três Secretários Regionais. A instabilidade vivida, as carências financeiras, a falta de profissionais, a sobrecarga de trabalho, as lacunas em diversos serviços são apanágio da incompetência governativa, que nesta área, é demais evidente aos olhos de todos os Madeirenses”, refere a nota, realçando que “em política não há assuntos tabus” e que “a saúde é demasiado importante para ser ignorada”.

O PS frisa que, neste momento, existem mais de 18 mil utentes em lista de espera para cirurgia na Região e que “cada vez mais madeirenses são encaminhados para o continente, for falta de capacidade clínica na Madeira”.

Os socialistas acusam ainda o Governo da Madeira de gastar mais em saúde “para piores resultados do que a nível nacional”.