Junta de São Martinho responde a “iminente emergência social”

28 Mar 2020 / 15:48 H.

Desde o início do estado de emergência que a Junta de São Martinho colocou no terreno um conjunto de iniciativas de apoio aos idosos e mais carenciados da freguesia. Em duas semanas, são inúmeros os beneficiários que já usufruíram do ‘Fique em Casa’, uma iniciativa destinada à população de São Martinho com mais de 60 anos e doenças crónicas.

Duarte Caldeira Ferreira, Presidente da Junta de São Martinho, explica que “o ‘Fique em Casa’ é um programa que visa essencialmente assegurar o cumprimento de algumas das necessidades prementes das pessoas, nomeadamente quando não há a possibilidade de serem supridas com a ajuda de familiares”.

“Uma forma que a Junta de freguesia encontrou para dar resposta aos apelos dos mais vulneráveis nas suas necessidades diárias neste período”, realçou.

Duarte Caldeira Ferreira reforça ainda que “esta iniciativa tem servido também para incentivar a população mais idosa a se manter em casa, um apelo que a Junta tem feito diariamente”.

É desta foram que a Junta de Freguesia realiza a deslocação levando depois os artigos a casa, evitando que as pessoas corram riscos desnecessários ao se deslocarem para fora das suas habitações a fim de adquirir produtos de supermercado e de farmácia,”.

Em duas semanas de ‘Fique em Casa’ são já inúmeras as pessoas da Freguesia de São Martinho que beneficiaram deste programa.

Para usufruir deste apoio, o Presidente de São Martinho explica que “basta que o contacto seja feito pelo número 926294990, sendo feito um breve questionário a fim de aferir se a situação se enquadra nos critérios previamente definidos para beneficiar de ajuda, sempre tendo em conta a necessidade de que a mesma ocorra em situação de segurança, quer para o beneficiário quer para o colaborador da Junta”.

Perante este cenário de pandemia, um novo cenário surgiu às equipas que estão no terreno e que fez soar o alarme na Junta de Freguesia.

O autarca de São Martinho revela que “na sequência dos diversos contactos estabelecidos pela Junta de Freguesia nestas duas semanas, foram sinalizados perto de quatro dezenas de casos de idosos, que confinados às sua casas, encontram-se sem dinheiro e com os armários vazios”.

“Pessoas que habitualmente frequentam centros de dia e que ali conseguem contornar a fome e que, por estes estarem com as portas encerradas, deixaram de beneficiar dessa refeição”, realçou.

Perante este cenário que Duarte Caldeira considera de “iminente emergência social”, a Junta de Freguesia procurou apoio no fornecimento de refeições tendo a empresa Banamadeira respondido prontamente ao primeiro contacto, possibilitando colocar diariamente em casa dessas pessoas uma refeição quente, assim como outros produtos de primeira necessidade.

Igualmente com o objectivo de mitigar as dificuldades da população mais carenciada, a Junta de Freguesia de São Martinho respondeu ao apelo da Cáritas Diocesana do Funchal e têm vindo ao longo deste período a distribuir alimentos essenciais pelas famílias referenciadas por esta instituição.

Já esta semana, a Junta de Freguesia de São Martinho procedeu à desinfecção do mobiliário urbano e que tem maior contato com a população. Uma acção que teve a coordenação da Câmara Municipal do Funchal.

Duarte Caldeira Ferreira refere ainda que “a fim de facilitar o contacto nesta altura, a Junta decidiu isentar o pagamento das taxas de emissão de atestados”.

Apesar de não estar a realizar atendimentos presenciais, a Junta de São Martinho continua a desenvolver a sua atividade normal, podendo os contactos serem feitos pelo telefone 291700580, pelo endereço electrónico sã[email protected], pela página na internet e nas redes socias.