Indicadores da Educação registam melhorias em 2018

11 Fev 2019 / 17:17 H.

Na Região Autónoma da Madeira (RAM), a taxa de abandono precoce de educação e formação de 2018 (expressa em média móvel de 3 anos) fixou-se em 17,8%, registando uma redução de 3,4 pontos percentuais (p.p) face ao ano precedente. Este é um dos indicadores agora divulgados pela Direcção Regional de Estatística.

De acordo com os dados agora divulgados, a variável da taxa de abandono precoce tem diminuído continuamente desde 2013, ano no qual atingia 28,0%, sendo que em cinco anos decresceu 10,2 p.p.. Não obstante a taxa de abandono precoce regional ser superior à nacional, observa-se uma convergência dos valores: enquanto em 2013, essa discrepância era de 7,2 p.p., em 2018 não ultrapassava os 5,0 p.p.. De notar que, em 2018, tal como nos cinco anos anteriores, a taxa em questão é maior para os homens (21,8%) do que para as mulheres (13,6%). No entanto, a aproximação entre as duas taxas ao longo do período em análise é evidente, com o diferencial a passar de 16,5 p.p. em 2013 para 8,2 p.p. em 2018.

Em 2018, a taxa de aprendizagem ao longo da vida fixou-se em 9,4%, mais 1,3 p.p. que em 2017, sendo mais expressiva nas mulheres (10,1%) do que nos homens (8,5%). Esta taxa registou um aumento de 1,9 p.p. em sete anos, passando de 7,5% em 2011 para 9,4% em 2018. A RAM apresentava, em 2018, uma taxa inferior à nacional (10,3%), mas a análise da série disponível mostra também para esta variável uma convergência de valores, com o diferencial entre a taxa nacional e regional a passar de 4,0 p.p. em 2011 para 0,9 p.p. em 2018.

Por sua vez, a taxa de escolaridade do nível de ensino superior da população residente na RAM com idade entre 30 e 34 anos (média móvel de 3 anos) fixava-se em 30,5% em 2018. Apesar desta percentagem ser ainda inferior à média nacional (33,9%), constitui o valor mais alto desde 2013 (1.º ano da série).