IASAÚDE alarga Programa de Intervenção Precoce no Cancro Oral

09 Nov 2018 / 17:00 H.

Na sequência de um depacho publicado no JORAM, a 29 de Outubro, o Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais (IASAÚDE) informa que o Programa de Intervenção Precoce no Cancro Oral, no âmbito do Sistema Regional de Saúde Região Autónoma da Madeira (PIPCO-RAM), foi alargado.

A decisão da Secretaria Regional da Saúde resulta da constatação da “necessidade de proceder-se a um aperfeiçoamento regulamentar, tendo por fito contribuir para uma maior qualidade de vida dos seus utentes, através do alargamento do conceito de utente beneficiário, no acesso a este programa regional de intervenção em saúde”, explica uma nota do executivo dirigida à comunicação social.

Assim, passam a ter acesso ao PIPCO-RAM todos os utentes que sejam residentes na Região Autónoma da Madeira e cumpram um dos seguintes requisitos:

a) Tenham idade igual ou superior a 40 anos;

b) Pertençam ao grupo de risco dos utentes fumadores;

c) Possuam hábitos alcoólicos.

Lei aqui o despacho na íntegra.

Recorde-se que o Governo Regional publicou, a 24 de Maio do ano passado, a portaria que regulamenta o funcionamento do Programa de Intervenção Precoce no Cancro Oral.

Destinado a utentes pertencentes a grupos de risco, o programa tem como metas detectar casos de cancro oral numa fase precoce, diminuir a sua taxa de incidência e melhorar a esperança de vida destes pacientes.

Prevê-se que, anualmente, possam ser diagnosticados na RAM 30 a 40 casos de cancro oral, que afectam sobretudo pessoas com idades entre os 40 e 64 anos. O cancro da cavidade oral é o sexto mais incidente na Região desde 2014, o 7.º em termos de incidência e mortalidade do país e o 11.º a nível da União Europeia.